um-suburbano1Carol Castro

09/03/2016 — No cinema e na televisão, Carol Castro atualmente se encontra “entre dois Rodrigos”: na telona, divide o sucesso de “Um Suburbano Sortudo”, com Rodrigo Sant’Anna, e, na telinha, está a postos como o grande amor do protagonista da novela “O Velho Chico”, Afrânio (Rodrigo Santoro). Com Santoro, ela já tinha feiro a novela “Mulheres Apaixonadas”, mas os personagens não se encontravam.

Era a primeira novela dela e a última dele. O filme com o Sant’Anna é a primeira atuação com o astro do humorístico “Zorra Total”. De acordo com os dados da Agência Nacional de Cinema, o filme já levou quase um milhão de pessoas aos cinemas. Arrecadou mais de R$ 14 milhões. Na novela das nove, ela fará 27 capítulos relativos à primeira etapa. Sua personagem é uma cantora baiana, descendente de espanhóis. Com beleza e sensualidade, vai abalar a família tradicional do manda-chuva da região.

c-castro vip14aCapa da Vip
11/12/2014 — O destaque da capa e o principal ensaio sensual da VIP de dezembro trazem a “trintona” Carol Castro em plena forma. O trabalho é assinado pelo fotógrafo Daniel Aratangy. “Olhões lindos, pernas que desnorteiam o mais sóbrio dos exploradores, um sorriso que derrete qualquer indiferença...” diz o texto de introdução do jornalista Leandro Beguoci. Nas fotos — de muito bom gosto, aliás — a atriz carioca usa sutiã e calcinha da marca Valisère, anéis e colares da Carla Amorim, sutiã da Gisele Bündchen Intimates, calcinha da La Rouge Belle, sapatos da Schutz. Em seu último trabalho na televisão, Carol Castro foi a anfitriã do reality showDança dos Famosos”, apresentado pelo programa “Domingão do Faustão”. Afastada das novelas desde “Amor à Vida”, ela está escalada para a próxima trama das 18 horas.

Vip01 Vip02 Vip03 Vip04 Vip05

papa01CAROLINA OSÓRIO DE CASTRO nasceu no dia 10 de março de 1984, na cidade do Rio de Janeiro. É filha do ator e diretor de teatro Lucca de Castro e da terapeuta corporal Cecília Castello Branco. Quando tinha cinco anos, seus pais se separaram. Mudou-se, então, para Natal com sua mãe, onde viveu por quatro anos com os avós maternos. Nessa época, iniciou a prática de esportes como o bodyboard, futebol e surfe, além de aulas de balé, jazz e ginástica olímpica.

Aos nove anos, voltou para o Rio de Janeiro e foi morar com o pai. Incentivada por ele, ingressou no teatro. Estreou nos palcos ao seu lado no projeto “Terror na Praia”. Em 2003 estreou no cinema, como o filme “O Caminho das Nuvens”, no qual interpretou uma sereia, e na televisão, com a novela “Mulheres Apaixonadas”, na qual interpretou a personagem Gracinha. Neste mesmo ano, foi colocada na posição 68 na lista das mulheres mais sensuais do mundo, publicada pela revista VIP. Em 2013 venceu o quadro “Dança dos Famosos”, exibido pelo “Domingão do Faustão”. Por causa disso, foi, em 2015, a anfitriã e comentarista da temporada. Ainda em 2015, fez a personagem Olga na novela “Malhação” e apareceu como ela mesma na novela “Totalmente Demais”. Depois de fazer uma participação na série “Carcereiros” em 2017, retirou-se da cena para cuidar da gravidez.

amor-e-a1Principais trabalhos na televisão
2003-2003 — Mulheres Apaixonadas (novela, Globo)
2004-2005 — Senhora do Destino (novela, Globo)
2005-2006 — Bang Bang (novela, Globo)
2006-2007 — O Profeta (novela, Globo)
2008-2008 — Beleza Pura (novela, Globo)
2010-2010 — Escrito Nas Estrelas (novela, Globo)
2011-2011 — Morde & Assopra (novela, Globo)
2012-2012 — Amor, Eterno Amor (novela, Globo)
2013-2014 — Amor à Vida (novela, Globo)
2016-2016 — Velho Chico (novela, Globo)
2017-2017 — Carcereiros (série, Globo)

Na Capa Da Playboy
01/08/2008 — A edição de aniversário da Playboy traz a gata Carol Castro na capa em 34 páginas internas, com direito ao pôster central. As fotos foram feitas pelo recomendado Bob Wofenson. O texto de introdução diz que “nas ruas e esquinas de Salvador, a bela revive as mulheres doces, apaixonadas e apimentadas criadas pelo escritor Jorge Amado. Dona Flor, Gabriela e Tieta ganham novo sabor nas curvas quentes da atriz”. No depoimento, o cineasta Bruno Barreto afirma que “quando a Carol entrou em cena na peça Dona Flor e Seus Dois Maridos, senti uma sensação muito estranha”. Ele não sabia o que era, mas, depois da primeira cena sensual, a ficha dele caiu: “Eu estava com ciúmes”. Barreto dirigiu o filme com a Sônia Braga e achava que a personagem tinha se exaurido então. Até chegar a Carol. Clique AQUI.



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados