valerie-kaprisky in1Valérie Kaprisky
linha-gif

Pseudônimo de Valerie Chérès. Nasceu no dia 19 de agosto de 1962 na localidade de Neuilly-sur-Seine, Hauts-de-Seine, França.

Quando Brigitte Bardot, ameaçada pela idade e preocupada com a preservação da natureza, foi cuidar de gatos e baleias, deixando vago o trono de deusa erótica do cinema, começaram a aparecer candidatas. Mas só no começo da década de 1980 surgiu alguém com jeito de rainha. A francêsa Valérie Kaprisky estreou no cinema com 19 anos e já apresentava o ar de diabólica inocência com que parecia sempre disposta a seduzir. Por isso, seu primeiro filme de peso foi Afrodite (a deusa do amor). Mas o sucesso só chegou com A Força do Amor, feito em Hollywood, ao lado de Richard Gere. E o prêmio de melhor atriz francesa de 1984 veio com A Mulher Pública, em que a atração do seu corpo sinuoso não esconde o seu talento.

Em seu filme seguinte, O Ano das Medusas, exibe as mesmas virtudes e confirma o que disse dela Andrzej Zulawski: “Não há nada que se possa fazer para evitar fascínio de mulheres como essa”. Filha de um francês de ascendência turco-argentina e de mãe polonesa, adotou o sobrenome da mãe porque achou que soava bem com seu nome tipicamente francês. Então, deixou para traz a família burguesa e se aventurou em filmes pouco expressivos. Apesar do sucesso de A Força do Amor, não ficou muito satisfeita: “Tiraram minhas melhores cenas na montagem”. Ela prefere A Mulher Pública. Dentro desse filme, há outro — Os Possessos —, em que Ethel, sua personagem, sofre e se dilacera, para depois triunfar na capa de todas as revistas. “Lembra um pouco a minha vida”, disse na época. Ao todo fez, ao longo da carreira, 34 filmes.

{youtube}7hPOf6WjMjc&NR=1{/youtube}



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados