Bolsonaro Votos

28/10/2018 — Na eleição de 2018, o Jair Bolsonaro (PSL) obteve 55,13% dos votos válidos, conquistando 57,8 milhões de sufrágios. O Fernando Haddad (PT) teve 44,87%, o equivalente a 47 milhões de votos. A diferença entre os dois candidatos ficou em 10,8 milhões de votos. As abstenções somaram 21,3% (31,3 milhões de votos). Os votos brancos foram 2,14% (2,4 milhões de votos) e os nulos, 7,43% (8,6 milhões de votos). No Estado de São Paulo, o candidato eleito teve 67,97%, representando 15,3 milhões de votos.  O candidato perdedor teve, no estado, 32,03%, representando 7,2 milhões de votos. Em Franca, o Bolsonaro abocanhou 126.487 votos, representando 75,97 dos válidos, contra 41.285 votos do Haddad, representando 24,61% dos válidos. No confronto dos estados, o Bolsonaro venceu em 16 e o Haddad, em 11. No confronto dos municípios, o eleito venceu 2.760, a maioria no sul e no sudeste, enquanto o perdedor ganhou 2.810 cidades, a maioria no nordeste e no norte.

Jair Bolsonaro
JAIR MESSIAS BOLSONARO nasceu no dia 21 de março de 1955, na cidade de Glicério, Estado de São Paulo, mas cresceu e estudou na cidade de Eldorado, no Vale do Ribeira. Cursou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército e, depois, a Academia Militar de Agulhas Negras, formando-se em 1977. Serviu, entre 1979 e 1981, no Nono Grupamento de Artilharia de Campanha, no Mato Grosso do Sul. Logo depois, passou a integrar a Brigada de Infantaria Paraquedista. Em 1983, graduou-se na Escola de Educação Física do Exército. Em 1987, já com a patente de capitão, cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Em 1988, ao se aposentar na carreira militar, iniciou a carreira política, elegendo-se vereador na cidade do Rio de Janeiro. Em 1990, elegeu-se, pela primeira vez, deputado federal, reelegendo-se, sucessivamente, em 1994, em 1998, em 2002, em 2006, em 2010 e em 2014, sempre defendendo bandeiras nacionalistas. Em 2017, anunciou a candidatura à presidência da República. Embora o anúncio tenha sido recebido com ceticismo, ele ganhou as eleições em 2018.

Bolsonaro & Racismo
12/09/2018 — A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal rejeitou denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidenciável Jair Bolsonaro pelo crime de racismo. O julgamento estava empatado em dois a dois. O ministro Alexandre de Moraes, no último voto, desempatou a parada, no sentido de arquivar o caso, trancando, assim, a ação penal contra o parlamentar. Segundo o pedido, o Bolsonaro, numa reunião política, teria ofendido os quilombolas, negros habitantes em mais de dois mil quilombos espalhados pelo país. Segundo o ministro Alexandre de Moraes, apesar de se ter valido de frases infelizes, o Bolsonaro, na análise do contexto, não cometeu crime. Ainda votaram a favor do presidenciável, os ministros Marco Aurélio Mello e Luiz Fux.

20180707Supremo Tribunal Federal
04/07/2018 — O pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal, declarou que defende o aumento do número de ministros do Supremo Tribunal Federal de onze para vinte e um. Para conseguir o objetivo, caso vença as eleições de outubro, ele terá de propor uma emenda à Constituição da República. Até 2022, o futuro presidente poderá indicar, na composição atual, pelo menos dois ministros para a Corte Suprema.

O decano Celso de Mello completa a data limite — setenta e cinco anos — em 2020 e o Marco Aurélio Mello, em 2021. Por isso, ambos terão de se aposentar compulsoriamente. Em entrevista à TV Cidade, de Fortaleza, Bolsonaro afirmou que as decisões do Supremo têm envergonhado o país nos últimos anos, daí a necessidade de mudanças. Sua ideia seria indicar pessoas com atuação similar à do juiz Sérgio Moro. Ele reafirmou essa disposição num debate promovido pela Confederação Nacional da Indústria.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados