20180707Bolsonaro & Suprema Corte

04/07/2018 — O pré-candidato à presidência Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal, declarou que defende o aumento do número de ministros do Supremo Tribunal Federal de onze para vinte e um. Para conseguir o objetivo, caso vença as eleições de outubro, ele terá de propor uma emenda à Constituição da República. Até 2022, o futuro presidente poderá indicar, na composição atual, pelo menos dois ministros para a Corte Suprema.

O decano Celso de Mello completa a data limite — setenta e cinco anos — em 2020 e o Marco Aurélio Mello, em 2021. Por isso, ambos terão de se aposentar compulsoriamente. Em entrevista à TV Cidade, de Fortaleza, Bolsonaro afirmou que as decisões do Supremo têm envergonhado o país nos últimos anos, daí a necessidade de mudanças. Sua ideia seria indicar pessoas com atuação similar à do juiz Sérgio Moro. Ele reafirmou essa disposição num debate promovido pela Confederação Nacional da Indústria.

Jair Bolsonaro
JAIR MESSIAS BOLSONARO nasceu no dia 21 de março de 1955, na cidade de Campinas, Estado de São Paulo. Cursou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército e, depois, a Academia Militar de Agulhas Negras, formando-se em 1977. Serviu, entre 1979 e 1981, no Nono Grupamento de Artilharia de Campanha, no Mato Grosso do Sul. Logo depois, passou a integrar a Brigada de Infantaria Paraquedista. Em 1983, graduou-se na Escola de Educação Física do Exército. Em 1987, já com a patente de capitão, cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Em 1988, ao se aposentar na carreira militar, iniciou a carreira política, elegendo-se vereador na cidade do Rio de Janeiro. Em 1990, elegeu-se, pela primeira vez, deputado federal, reelegendo-se, sucessivamente, em 1994, em 1998, em 2002, em 2006, em 2010 e em 2014, sempre defendendo bandeiras nacionalistas. Em 2017, anunciou a candidatura à presidência da República.

Bolsonaro & Gaúchos
14/06/2018 — O deputado federal Jair Bolsonaro aparece à frente dos seus adversários no Rio Grande do Sul. É o que mostra um levantamento inédito do Instituto Paraná. Pela primeira vez, o político carioca bate o Lula da Silva na corrida. Ele tem 28,1% dos votos, contra 20,5% do petista. Neste cenário, o Ciro Gomes (6,9%), a Marina Silva (6,9%) e o Alvaro Dias (6,8%). Estão empatadas na terceira posição. Sem o ex-presidente na disputa, o caminho está ainda mais aberto para o deputado. Ele tem a preferência de 29,4%, contra 9,9% do Ciro Gomes e da Marina Silva. Como se não bastasse, 34,2% dos gaúchos revelam preferência de voto por um candidato apoiado por militares, contra 20% de alguém apoiado pelo empresariado e 17,3% com a chancela do Lula. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados