Datafolha

29/05/2020 — Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo mostra que subiu para 43% o índice de rejeição do presidente Jair Bolsonaro. No levantamento anterior, feito em abril, esse índice de “ruim” e “péssimo” era de 38%. Mas, segundo o instituto, o índice de aprovação do presidente permaneceu estável: 33% nas duas pesquisas. Os que acham o governo regular caíram de 26% para 22%. O levantamento ouviu 2.069 pessoas maiores de idade, após a divulgação do vídeo de uma reunião ministerial. A margem de erro da pesquisa é de dois por cento. De acordo com os analistas, a insatisfação da maioria da população se deve à postura do presidente frente aos problemas gerados pela pandemia do coronavírus. Sessenta e sete por cento dos entrevistados acham, inclusive, que o Bolsonaro é o responsável pela curva ascendente de mortes causadas pelo Covid-19.

20200513Pesquisa CNT
13/05/2020 — Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte indica que a avaliação negativa do presidente Jair Bolsonaro aumentou. Segundo o levantamento, 43,4% consideram o governo ruim ou péssimo. Em janeiro, quando foi divulgado o levangamento anterior, o percentual era de 31%. Os que avaliam o governo como bom ou ótimo eram 35% em janeiro. Essa taxa caiu para 32% em maio. O governo bolsonarista é regular para 22,9%. Foram feitas 2.002 entrevistas por telefone entre os dias sete a dez deste mês, com moradores de 494 municípios, de vinte e cinco estados. A margem de erro é de 2,2%. A pesquisa da CNT também informa que 67,3% da população concordam com as medidas de isolamento social por causa do coronavírus.

Inquérito
28/04/2020 — O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de inquérito para apurar declarações do ex-ministro Sérgio Moro. Ao deixar o governo, o ex-ministro apontou suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro em inquéritos da Polícia Federal. O presidente tem em curso no STF inquéritos para apurar conduta criminosa dos filhos dele, Flávio e Eduardo Bolsonaro, e de alguns aliados políticos. O pedido de abertura de inquérito foi feita pelo Procurador Geral da República. ATUALIZAÇÃO: Por ordem do ministro Celso de Mello, a Polícia Federal fez a oitiva do Sérgio Moro no dia dois. Foram mais de oito de horas de depoimento, durante os quais o ex-ministro teria entregado diversas provas contra o presidente da República.

Jair Bolsonaro
JAIR MESSIAS BOLSONARO nasceu no dia 21 de março de 1955, na cidade de Glicério, Estado de São Paulo, mas cresceu e estudou na cidade de Eldorado, no Vale do Ribeira. Cursou a Escola Preparatória de Cadetes do Exército e, depois, a Academia Militar de Agulhas Negras, formando-se em 1977. Serviu, entre 1979 e 1981, no Nono Grupamento de Artilharia de Campanha, no Mato Grosso do Sul. Logo depois, passou a integrar a Brigada de Infantaria Paraquedista. Em 1983, graduou-se na Escola de Educação Física do Exército. Em 1987, já com a patente de capitão, cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Em 1988, ao se aposentar na carreira militar, iniciou a carreira política, elegendo-se vereador na cidade do Rio de Janeiro. Em 1990, elegeu-se, pela primeira vez, deputado federal, reelegendo-se, sucessivamente, em 1994, em 1998, em 2002, em 2006, em 2010 e em 2014, sempre defendendo bandeiras nacionalistas. Em 2017, anunciou a candidatura à presidência da República. Embora o anúncio tenha sido recebido com ceticismo, ele ganhou as eleições em 2018.

Votos
28/10/2018 — Na eleição de 2018, o Jair Bolsonaro (PSL) obteve 55,13% dos votos válidos, conquistando 57,8 milhões de sufrágios. O Fernando Haddad (PT) teve 44,87%, o equivalente a 47 milhões de votos. A diferença entre os dois candidatos ficou em 10,8 milhões de votos. As abstenções somaram 21,3% (31,3 milhões de votos). Os votos brancos foram 2,14% (2,4 milhões de votos) e os nulos, 7,43% (8,6 milhões de votos). No Estado de São Paulo, o candidato eleito teve 67,97%, representando 15,3 milhões de votos.  O candidato perdedor teve, no estado, 32,03%, representando 7,2 milhões de votos. Em Franca, o Bolsonaro abocanhou 126.487 votos, representando 75,97 dos válidos, contra 41.285 votos do Haddad, representando 24,61% dos válidos. No confronto dos estados, o Bolsonaro venceu em 16 e o Haddad, em 11. No confronto dos municípios, o eleito venceu 2.760, a maioria no sul e no sudeste, enquanto o perdedor ganhou 2.810 cidades, a maioria no nordeste e no norte.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados