matinhos-pr in1Matinhos

Emancipou-se politicamente da cidade de Paranaguá, da qual era distrito, no dia 12 de junho de 1967.

Localiza-se no extremo leste do Estado do Paraná, na Região Metropolitana de Curitiba. Limita-se territorialmente com os municípios de Paranaguá, ao norte; Pontal do Paraná, ao nordeste; Guaratuba, ao oeste e ao sul; e com o Oceano Atlântico, ao leste e ao sul. O censo demográfico do IBGE realizado em 2010 (atualizado em 2011) estimou a população em 29.831 habitantes, assentados numa área geográfica de 118 quilômetros quadrados. O Produto Interno Bruto (PIB) estimado é de R$ 3,2 milhões, distribuídos pelos setores do Comércio, Serviços e Turismo (85,3%), Indústria (12,6%) e Agropecuária (2,1%). O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), medido pela ONU, é 0,793, considerado médio. O prefeito é Eduardo Antônio Dalmora, eleito em 2008 para o mandato de 2009-2012 e reeleito em 2012 para o mandato 2013-1016.

eduardo-a-dalmora in1Historicamente, entre 3.000 e 5.000 anos atrás, vivia na região o Homem do Sambaqui, um povo extinto que deixou os primeiros vestígios de sua presença naquela área. Depois dele, surgiram os índios carijós, do grupo tupi-guarani. O lugar sofreu influência sóciocultural dos povoadores de Paranaguá e, posteriormente, dos de Guaratuba, por se tratar de ponto intermediário entre os dois municípios. Com o tempo foi se firmando como povoado, tendo vida própria, e participando da vida política regional. Em 1771 residia ali o alferes Antonio Carvalho Bueno, nomeado pelo tenente-coronel Afonso Botelho para servir de juiz ordinário na Vila de Guaratuba.

Até 1938, era distrito de Guaratuba, quando, por ato do interventor Manoel Ribas, aquela cidade perdeu a autonomia política, passando a pertencer ao município de Paranaguá. Como Matinhos pertencia territorialmente à Guaratuba, passou também à jurisdição de Paranaguá. Pela Lei 613, de 27 de janeiro de 1951, foi elevado à condição de distrito, ligado diretamente a Paranaguá, de quem se desmembrou a 12 de junho de 1967, pela Lei Estadual 05, sancionada pelo governador Paulo Pimentel, ganhando a condição de município emancipado. De origem geográfica, sua denominação provém da abundância de vegetação rasteira, típica da planície litorânea do Estado do Paraná.

Na economia, a agricultura é o setor menos relevante. Segundo o IBGE, em 2010 o município possuía um rebanho de 90 bovinos, 80 equinos, 36 bubalinos, 310 suínos, 80 caprinos e 4,6 mil aves. Em 2010, a cidade produziu 18 mil litros de leite. Na lavoura temporária são produzidos principalmente o arroz (265 toneladas), a cana-de-açúcar (105 toneladas) e a mandioca (51 toneladas). Também se destaca no município a pesca, para fins esportivos ou para subsistência das chamadas vilas de pescadores. A indústria é também incipiente, resumindo-se a estabelecimentos de agroindústrias. O setor mais relevante é o do comércio e serviços, turbinado pelo turismo. As praias da cidade são os principais atrativos do município. Há muitos hotéis e pousadas, que, na alta temporada e durante feriados prolongados, hospedam milhares de turistas que chegam de várias partes do estado, do sul brasileiro ou mesmo de outros países.

Cidades Brasileiras

UP TOGGLE DOWN


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados