ney-santosA Posse Ameaçada

09/12/2016 — O prefeito eleito de Embu das Artes, Ney Santos (PRB), e outras 13 pessoas foram presas preventivamente numa ação da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Batizada de Operação Xibalba, a ação tem o objetivo de desarticular uma facção criminosa que usa postos de combustíveis para lavar dinheiro do tráfico de drogas. Além das prisões preventivas, os 200 policiais militares saíram às ruas em cinco cidades da Grande São Paulo, incluindo a capital, em auxílio ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, órgão do Ministério Público Estadual, para cumprir 49 mandados de busca e apreensão. “Xibalba” é uma menção a um lugar descrito na mitologia maia como um mundo subterrâneo governado por espíritos malignos.

logoEMBU DAS ARTES — Município fundado no dia 18 de fevereiro de 1959. Situa-se no Sul do Estado de São Paulo, Região Metropolitana da capital paulista. Limita-se ao Norte e ao Oeste, com o município de Cotia; ao Nordeste, Leste e Sudeste, com Taboão da Serra; e ao Sul, com Itapecerica da Serra. De acordo com as estimativas do IBGE para 2016, conta com 264.448 habitantes, distribuídos pela área de 70,4 quilômetros quadrados. O Produto Interno Bruto, estimado em 2013, é de R$ 8,1 bilhões. A predominância é do setor de serviços, com valor adicionado estimado em R$ 4,5 bilhões (55,55% do total). O setor da indústria tem 17,28% e a agropecuária, menos de 1%. O Índice de Desenvolvimento Humano apurado em 2010 é 0,735, considerado “alto”.

Historicamente, até o século XVI, a região era habitada pelos índios tupiniquins. Em 1554, um grupo de jesuítas fundou o aldeamento de Bohi, depois M'Boy Mirin, a meio caminho do mar e do sertão paulista. Como todas as missões jesuíticas no interior do Brasil de então, esta tinha objetivos missionários e pretendia catequizar os índios locais, aproveitando-os também como força de trabalho para as fazendas que se foram criando na região. Em 1607, as terras da aldeia passaram para as mãos do Fernão Dias (tio do bandeirante Fernão Dias Paes, o Caçador de Esmeraldas). Poucos anos mais tarde, em 1624, essas terras foram doadas à Companhia de Jesus. Em 1690, o padre Belchior de Pontes iniciou a construção da Igreja do Rosário, transferindo, ao mesmo tempo, o núcleo da aldeia original.

Já no século XVIII, entre 1730 e 1734, os jesuítas construíram a sua residência anexa à igreja, formando um conjunto arquitetônico contínuo de linhas retas e sóbrias. Mas, em 1760, por ordem da Coroa Portuguesa, os jesuítas foram expulsos do Brasil. A região fazia parte do antigo município de Santo Amaro e, posteriormente, do município de Itapecerica da Serra. Foi elevada à categoria de município em 1959, quando se emancipou desta última cidade. A partir daí, o local começou a se projetar estadualmente pela sua vocação artística e cultural. Projetou-se nacionalmente em 1964, com a realização do Primeiro Salão das Artes, que reuniu os maiores artistas brasileiros das artes plásticas. Por isso, o nome, originariamente apenas “Embu”, passou a “Embu das Artes” em 2009. O prefeito eleito em 2016 para o mandato 2017-2020 foi o Ney Santos (PRB), 64.828 votos (79,45% do total).

rosangela-santos1Vereadores Eleitos Em 2016
Rosângela Santos
(PT): 3.356 votos (2,63%)
Luiz “do Depósito”
Calderoni (PMDB): 2.680 votos (2,10%)
Flávio “Bobilel Castilho” Lima (PSC): 2.624 (2,06)

Gilson Oliveira
(PMDB): 2.251 votos (1,77%)
Danilo “Daniboy” Alves
(DEM): 2.215 votos (1,74%)
Gerson Olegário
(PTC): 2.144 votos (1,68%)
Elisabete “Dr.ª Bete” Carvalho (PTB): 1.966 votos

Hugo do Prado
Santos (PSB): 1.965 votos (1,54%)
André Maestri
(PTB): 1.896 votos (1,49%)
Ricardo Almeida
dos Santos (PRB): 1.860 votos (1,46%)
Carlos “Carlinhos do Embu” Noia (PSC): 1.856 votos (1,46%)

Edvânio Mendes
dos Santos (PT): 1.808 votos (1,42%)
João “Joãozinho da Farmácia” Girardi 1.637 votos (1,28%)
Sandoval “Doda” Pinheiro (PT): 1.552 votos (1,22%)

Jefferson “do Caminhão”
Siqueira (PSDB): 1.517 votos (1,19%)
Júlio Campanha
(PRB): 1.450 votos (1,14%)
Gilberto “Índio” Silva (PRB): 1.427 votos 1,12%)


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados