pola-arena1Pola

Foi elevada à categoria de cidade colonial entre 46 e 45 antes de Cristo. Incorporou-se à Croácia no dia 15 de setembro de 1947.

É a maior cidade do Condado de Ístria, situada na ponta sul da Península de Ístria. Evidências arqueológicas dão conta da existência de moradores no local há pelo menos um milhão de anos. Foram encontradas lá cerâmicas do Período Neolítico, indicando assentamentos humanos. Também foram encontrados objetos típicos da Idade do Bronze. Na Antiguidade Clássica, os estudos revelam que foi povoada pelos ístrios. Em 177 a. C., teria sido conquistada pelos romanos e teria crescido em importância durante o governo de Júlio César, tornando-se um importante porto romano, com cerca de trinta mil habitantes.

pola-templo1Durante a guerra civil que envolveu o Império Romano, a partir de 42 a. C., a cidade tomou o lado dos assassinos de Júlio César, pois teria sido fundada por Cassio Longinus, irmão do senador Caio Cassio, o mentor do assassinato. Foi inteiramente dominada e destruída pelas tropas de Otávio Augusto, filho adotivo de Júlio César. Muito tempo mais tarde, foi reconstruída a pedido da filha de Otávio, Júlia, recebendo o nome de Colônia Júlia Pietas Pola Pollentia Herculanea. Foram procedidas inúmeras construções clássicas, entre as quais um anfiteatro. Os romanos também construíram um moderno sistema de água e esgoto e a fortificação da cidade com dez portões.

Durante o reinado de Septímio Severo, o nome da cidade foi alterado para República Polense. Em 425, tornou-se centro de um bispado. Após a queda do Império Romano, foi invadida — e novamente destruída — pelos ostrogodos. Esse povo a dominou até 538, quando a localidade passou para a esfera da cidade italiana de Ravenna. A partir daí e até 751 prosperou, tornando-se o principal porto bizantino. Nesse período foi construída a Basílica de Santa Maria Formosa. A chegada dos croatas ocorreu nos século VII, mas a cidade manteve a sua alma romana. A partir de 788, pertenceu ao reino dos francos. Em 1148, foi tomada pelos venezianos, que a dominaram até 1192, quando passou para a área de influência da cidade de Pisa.

pola-vista1Em 1267, foi destruída novamente depois de uma intensa batalha naval entre genoveses e venezianos. A partir daí entrou em decadência. Os venezianos conseguiram seu território novamente em 1331, governando-a até 1797, quando foram derrotados pelas tropas de Napoleão Bonaparte. Em 1813, passou para a área de influência do Império Austríaco, recuperando aos poucos a sua prosperidade. Com o colapso dos austríacos, após a Primeira Guerra Mundial, a cidade e toda a Península de Ístria foram entregues, em 1918, à Itália. A dominação italiana perdurou até 1943, quando foi tomada pelas tropas alemãs para preencher o vácuo deixado pela retirada dos solados italianos durante a Segunda Guerra Mundial. Até 1945, foi incorporada à Zona Operacional do Adriático.

Foi alvo de repetidos ataques aéreos dos aliados durante o conflito, o que prejudicou muito a sua infraestrutura. Depois da Segunda Guerra Mundial, o território passou a ser administrado pela Organização das Nações Unidas. Foi dividida em zonas de ocupação até que passou oficialmente para o território da Croácia, então sob a esfera de influência da República Iugoslava. Modernamente, tornou-se um grande centro turístico da Europa, privilegiada pela mistura de povos e línguas do Mediterrâneo. Além do turismo, sua economia se baseia na indústria, destacando-se os ramos de transformação, alimentício e metalúrgico. De acordo com último censo populacional, feito em 2006, a cidade conta com cerca de 63 mil habitantes, assentados numa área de 51,65 quilômetros quadrados. Dentre os seus filhos ilustres, destaca-se a atria Laura Antonelli.

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados