banner-topo

O Prêmio Nobel de Economia de 2016 foi para um britânico e um finlandês

nobel-de-economia1Prêmio Nobel De Economia

10/10/2016 — Oliver Hart, de 68 anos, e Bengt Holmström, de 67, venceram o Prêmio Nobel de Economia 2016. O primeiro é britânico e professor da Universidade de Harvard, Estados Unidos. O segundo é finlandês e professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, também nos Estados Unidos. O Nobel de Economia vale aos vencedores oito milhões de coroas suecas, o equivalente a R$ 3.028.000,00. De acordo com o comunicado da academia sueca, “as novas ferramentas teóricas criadas pelo Hart e pelo Holmstroem são valiosas para a compreensão dos contratos e instituições da vida real, bem como armadilhas potenciais no projeto de contrato”.

OLIVER SIMON D´ARCY HART nasceu no dia 09 de outubro de 1948, na cidade de Londres, Inglaterra, Reino Unido. Graduou-se em matemática na Universidade de Cambridge em 1969. Em 1972, obteve o mestrado em economia na Universidade de Warwick, da sua cidade natal. Em 1974, foi para os Estados Unidos, obtendo o doutorado na Universidade de Princeton, em Nova Jersey. De volta ao seu país, tornou-se professor na Escola de Economia de Londres. Em 1984, voltou para os Estados Unidos para dar aulas no Instituto de Tecnologia de Massachusets. Em 1993, transferiu-se para a Universidade de Harvard. Escreveu o livro “Empresas, contratos e Estrutura Financeira”, publicado pela Universidade de Oxford em 1995.

BENGT ROBERT HOLMSTROM nasceu no dia 18 de abril de 1949, na cidade de Helsinke, capital da Finlândia. Graduou-se em matemática na universidade da sua cidade natal. Em 1975, obteve a licenciatura na Universidade de Stanford, Estados Unidos, onde também obteve o doutorado em 1975. Em 1994, foi contratado para dar aulas no Instituto de Tecnologia de Massachusetes, nos Estados Unidos, no qual desenvolveu o seu principal trabalho: a teoria geral dos contratos. Até 2012, pertenceu ao conselho de administração da Nokia, uma empresa do seu país, gigante mundial da tecnologia de comunicações. Escreveu vários artigos e trabalhos na área da economia.

Os Laureados Da Década
2015 — Angus Deaton (Escócia)
2014 — Jean Tirole (França)

2013 — Eugene Fama (Estados Unidos)
2013 — Lars Peter Hansen (Estados Unidos)
2013 — Robert Shiller (Estados Unidos)

2012 — Alvin Roth (Estados Unidos)
2012 — Lloyd Shapley (Estados Unidos)

2011 — Christopher Sims (Estados Unidos)
2011 — Thomas Sargent (Estados Unidos)

2010 — Christopher Pissarides (Reino Unido)
2010 — Dale Mortensen (Estados Unidos)
2010 — Peter Diamond (Estados Unidos)


O Prêmio Nobel de Química de 2016 foi para um francês, um escocês e um holandês

nobel-de-quimica16quinas Moleculares

05/10/2016 — Os ganhadores do Prêmio Nobel de Química deste ano são: Jean-Pierre Sauvage, J. Fraser Stoddart e Bernard L. Feringa, segundo anunciaram os coordenadores da premiação. Eles foram laureados pelo desenho e síntese de máquinas moleculares, as menores do mundo. O francês Sauvage é professor da Universidade de Estrasburgo. O escocês Stoddart faz suas pesquisas na Universidade de Edimburgo. O holandês Feringa trabalha na Universidade de Groningen. O Nobel de Química é um dos prêmios mais concorridos, pois foi a área em que atuou o criador, Alfred Nobel. Os vencedores dividirão o prêmio de oito milhões de coroas suecas, o equivalente a pouco mais de R$ 3 milhões. Além do dinheiro, os vencedores receberão uma medalha e um diploma.

jean-pierre-sauvage1JEAN-PIERRE SAUVAGE nasceu no dia 21 de outubro de 1944, na cidade de Paris, França. É professor da Universidade de Estrasburgo. Em 1983, publicou uma das primeiras sínteses de um catenan. Recebeu a Medalha e Dissertação Prelog e é membro da Academia de Ciências da França.

bernard-feringa1BERNARD LUCAS FERINGA nasceu no dia 18 de maio de 1951, na cidade de Barger-Compascuum, Holanda. Recebeu o seu doutorado na Universidade de Groningen, para qual foi nomeado professor titular em 1984. Na década de 1990, o seu trabalho na estereoquímica levou a grandes contribuições na fotoquímica. Detém mais de trinta patentes e publicou cerca de 650 trabalhos na sua área de atuação.

fraser-stoddart1JAMES FRASER STODDART nasceu no dia 24 de maio de 1942, na cidade de Edimburgo, Escócia. m 1967, ele foi para a Universidade de Queen (Canadá) e, em 1970, chegou à Universidade de Sheffield. A partir de 1978, trabalhou na Universidade da Califórnia. Depois de passar um ano (1978-81) num laboratório privado, voltou para Sheffield. Em 1990, assumiu a cátedra de química na Universidade de Birmingham. Pouco depois, voltou a lecionar nos Estados Unidos. Estima-se que tenha sido mentor de cerca de trezentos estudantes em fase de doutoramento. Em 2008, foi nomeado para o Conselho de Curadores de Química da Universidade de Northwestern.

Os Laureados Da Década
2015 — Aziz Sancar (Turquia)
2015 — Paul Modrich (Estados Unidos)
2015 — Tomas Lindahl (Suécia)

2014 — Eric Betzig (Estados Unidos)
2014 — Stefan Hell (Romênia)
2014 — William Moerner (Estados Unidos)

2013 — Arieh Warshel (Estados Unidos)
2013 — Martin Karplus (Áustria)
2013 — Michael Levitt (África do Sul)

2012 — Brian Kobilka (Estados Unidos)
2012 — Robert Lefkowitz (Estados Unidos)

2011 — Dan Shechtman (Israel)

2010 — Akira Suzuki (Japão)
2010 — Ei-ichi Negishi (Japão)


O Nobel de Química de 2015 foi para um sueco, um americano e um turco

2015-vencedores1Prêmio Nobel de Química

07/09/2015 — O Nobel de Química 2015 premiou três pesquisadores que mapearam os mecanismos biomoleculares naturais com os quais as células reparam erros no DNA e preservam sua informação genética. O sueco Tomas Lindahl, o americano Paul Modrich e o turco Aziz Sancar receberam o reconhecimento pelas suas contribuições para o conhecimento das funções celulares que são usadas, atualmente, para o desenvolvimento de novos tratamentos de câncer. De acordo com a Academia Real Sueca de Ciências, os cientistas descobriram mecanismos que existem em quase todos os seres vivos e funcionam como uma “caixa de ferramentas” natural para “consertar defeitos” que surgem, espontaneamente, na cadeia genética.

Aziz-Sancar15aAzis Sancar nasceu no dia 8 de setembro de 1946, na cidade de Savur, Mardin, Turquia. Completou o seu doutorado na Universidade de Stambul. Em 1977, assumiu o posto de professor emérito da Universidade de Dallas, Texas, Estados Unidos. Seu estudo mais conhecido envolve a fotoliase e os mecanismos de foto-reativação. Em 2015, foi eleito para a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. É co-fundador da Fundação Aziz Sancar e Gwen, uma organização sem fins lucrativos que promove a cultura turca e apoia estudantes daquele país em solo americano.

Paul-Modrich15aPaul Modrich nasceu no dia 13 de junho de 1946, na cidade de Raton, Novo México, Estados Unidos. Terminou seu doutorado em 1973, na Universidade de Stanford. Passou a integrar o corpo docente da instituição em 1976. A partir de 1994, passou a trabalhar como pesquisador do laboratório Howard Hughes. Foi aí que ficou conhecido pela pesquisa envolvendo o reparo incompatível do DNA. É membro da Academia Americana de Artes e Ciências, do Instituto Americano de Medicina e da Academia Nacional de Ciências. Seus estudos ajudaram a produção de medicamentos de combate ao câncer.

Tomas-Lindahl15aTomas Lindahl nasceu no dia 28 de janeiro de 1938, na cidade de Estocolmo, Suécia. Depois que conseguiu o seu doutorado, fez pesquisas nas universidades de Princeton e Rockfeller, ambas nos Estados Unidos. Entre 1978 e 1982, foi professor de química médica na Universidade de Gotemburgo, em seu país. Mudou-se depois para a Inglaterra, onde passou trabalhar na Fundação Imperial de Pesquisa Sobre o Câncer. Desde 2009, é pesquisador do Instituto Francis Crick de Londres. Antes do Nobel, foi laureado com a Medalha Real, em 2007, e com a Medalha de Copley, em 2010.


O prêmio Nobel de Economia de 2015 ficou com um escocês

Angus-Deaton15aAngus Deaton

13/10/2015 — O professor Angus Deaton, de 69 anos, que tem nacionalidade britânica e norte-americana, ganhou o Prêmio Nobel da Economia pelo trabalho sobre o consumo associado à pobreza, segundo anunciou o Comitê Nobel. O laureado nasceu na Escócia e trabalha nos Estados Unidos, na Universidade de Princeton, onde se dedica à área do desenvolvimento econômico. Ele foi escolhido “pela sua análise do consumo, da pobreza e do bem-estar”. A obra do economista gira em torno de três questões essenciais: como os consumidores repartem as suas despesas, quanto se poupa e quanto se gasta no conjunto da sociedade e por fim como avaliar o bem-estar individual. Clique AQUI para ver a trajetória do laureado.

jean-tirole1Jean Tirole
13/10/2014 — O francês Jean Tirole, 61 anos, ganhou o Prêmio Nobel de Economia, por seu trabalho de análises do poder e regulação de mercado. Ele é atualmente diretor do Instituto de Economia Industrial da Universidade de Ciências Sociais, em Toulouse, França. O laureado levará aproximadamente 1,1 milhão de dólares pela nomeação. Segundo a Real Academia Sueca, Tirole é um dos economistas mais influentes do nosso tempo. Ele fez contribuições teóricas importantes a várias áreas, mas, principalmente, esclareceu a maneira de se entender e regular setores com algumas poucas emrpesas. Publicou mais de 100 artigos acadêmicos em economia e finanças, além de seis livros sobre o assunto, a maioria dos quais publicada em vários países.

Os Laureados Históricos
1969 — Ragnar Anton Kittil Frisch (Noruega)
1969 — Jan Tinbergen (Holanda)
1970 — Paul Samuelson (Estados Unidos)
1971 — Simon Kuznets (Estados Unidos)
1972 — John Richard Hicks (Inglaterra)
1972 — Kenneth Arrow (Estados Unidos)
1973 — Wassily Leontief (Estados Unidos)
1974 — Gunnar Myrdal (Suécia)
1974 — Friedrich Hayek (Áustria)
1975 — Leonid Kantorovich (Rússia)
1975 — Tjalling Koopmans (Estados Unidos)
1976 — Milton Friedman (Estados Unidos)
1977 — Bertil Ohlin (Suécia)
1977 — James Edward Meade (Inglaterra)
1978 — Herbert Simon (Estados Unidos)
1979 — Theodore Schultz (Estados Unidos)
1979 — William Arthur Lewis (Inglaterra)
1980 — Lawrence Robert Klein (Estados Unidos)
1981 — James Tobin (Estados Unidos)
1982 — George Joseph Stigler (Estados Unidos)
1983 — Gérard Debreu (França)
1984 — Richard Stone (Inglaterra)
1985 — Franco Modigliani (Itália)
1986 — James McGill Buchanan Jr. (Estados Unidos)
1987 — Robert Solow (Estados Unidos)
1988 — Maurice Allais (França)
1989 — Trygve Magnus Haavelmo (Noruega)
1990 — Harry Max Markowitz (Estados Unidos)
1990 — Merton Howard Miller (Estados Unidos)
1990 — William Forsyth Sharpe (Estados Unidos)
1991 — Ronald Coase (Inglaterra)
1992 — Gary Stanley Becker (Estados Unidos)
1993 — Robert Fogel (Estados Unidos)
1993 — Douglass North (Estados Unidos)
1994 — Reinhard Selten (Alemanha)
1994 — John Forbes Nash (Estados Unidos)
1994 — John Harsanyi (Hungria)
1995 — Robert Lucas, Jr. (Estados Unidos)
1996 — James Mirrlees (Inglaterra)
1996 — William Vickrey (Estados Unidos)
1997 — Robert Carhart Merton (Estados Unidos)
1997 — Myron Scholes (Canadá)
1998 — Amartya Sem (Índia)
1999 — Robert Mundell (Canadá)
2000 — James Heckman (Estados Unidos)
2000 — Daniel McFadden (Estados Unidos)
2001 — George Arthur Akerlof (Estados Unidos)
2001 — Michael Spence (Estados Unidos)
2001 — Joseph Stiglitz (Estados Unidos)
2002 — Daniel Kahneman (Israel)
2002 — Vernon Smith (Estados Unidos)
2003 — Robert Engle (Estados Unidos)
2003 — Clive Granger (País de Gales)
2004 — Finn Kydland (Noruega)
2004 — Edward Prescott (Estados Unidos)
2005 — Robert Aumann (Israel)
2005 — Thomas Schelling (Estados Unidos)
2006 — Edmund Phelps (Estados Unidos)
2007 — Leonid Hurwicz (Estados Unidos)
2007 — Eric Maskin (Estados Unidos)
2007 — Roger Myerson (Estados Unidos)
2008 — Paul Krugman (Estados Unidos)
2009 — Elinor Ostrom (Estados Unidos)
2009 — Oliver Williamson (Estados Unidos)
2010 — Peter Diamond (Estados Unidos)
2010 — Dale Mortensen (Estados Unidos)
2010 — Christopher Pissarides (Chipre)
2011 — Thomas Sargent (Estados Unidos)
2011 — Christopher Sims (Estados Unidos)
2012 — Alvin Roth (Estados Unidos)
2012 — Lloyd Shapley (Estados Unidos)
2013 — Eugene Fama (Estados Unidos)
2013 — Lars Peter Hansen (Estados Unidos)
2013 — Robert Shiller (Estados Unidos)
2014 — Jean Tirole (França)
2015 — Angus Dalton (Escócia)

Distribuição Dos Prêmios Por Países
47
— Estados Unidos (62,67%)
06
— Inglaterra (8%)
03
— França (4%)
02
— Canadá — Israel — Noruega — Suécia (2,67%)
01
— Alemanha — Áustria — Chipre — Escócia — Holanda — Hungria — Índia — Itália — País de Gales — Rússia


Um americano, um japonês e uma chinesa ganham o Nobel de Medicina

youyou-tu15asatoshi-omura15awilliam-c-campbellPrêmio Nobel de Medicina

05/09/2015 — Os pesquisadores William C. Campbell, dos Estados Unidos, Satoshi Omura, do Japão, e Youyou Tu, da China, foram contemplados com o Prêmio Nobel de Medicina, segundo comunicado feito pela Academia Sueca. O americano e o japonês foram distinguidos pelas descobertas relacionadas a uma nova terapia para combater infecções provocadas por parasitas, como lombrigas. Já a chinesa conseguiu a láurea por causa de uma inovadora terapia contra a malária. No Brasil, o Instituto Osvaldo Cruz disse que já utiliza as descobertas do trio para produzir medicamentos. As pesquisas da chinesa, especialmente, foram cruciais para reduzir a mortalidade das populações ribeirinhas da África.

john-o-keefe1casal-moser1Os Laureados de 2014
06/10/2014 — Os neurocientistas John O’Keefe, da Inglaterra, May-Britt Moser e Edvard Moser, ambos da Dinamarca, foram laureados com o Prêmio Nobel de Medicina de 2014. O Instituto Karolinska, da Suécia, premiou os pesquisadores por seus estudos com células cerebrais e descobertas na área. Em resumo, os pesquisadores descobriram mecanismos cerebrais que fazem com que os animais se localizem em um ambiente, saibam como chegar a outro local e guardem essas informações caso retornem ao primeiro lugar novamente. John O’Keefe é professor da Universidade College London, na Grã-Bretanha, enquanto dinamarqueses, que são casados, atuam na Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia.

O Nobel de Fisiologia ou Medicina é um prêmio atribuído anualmente recompensando as pessoas que se destacam nas áreas de investigação da Fisiologia ou da Medicina. É um dos prêmios internacionais de investigação científica instituídos em 1901 pelo cientista Alfred Nobel. Em 113 anos de premiação, constata-se que a nação que mais contribuiu para o desenvolvimento dessas áreas científicas foram os Estados Unidos, com 73 premiações (35,5%) do total dos prêmios ofertados até 2012. Em segundo lugar vêm a Alemanha com 27 premiações (13% do total), seguida da Inglaterra em terceiro com 25 premiações (12%), da França em quarto com 13 premiações (6,5%) e da Suécia em quinto com sete premiações (3,5%). Os únicos países da América Latina contemplados com o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina foram a Argentina, com dois, e a Venezuela, com um. Confira os vencedores, abaixo:

1901 — Emil Adolf von Behring (Alemanha)
1902 — Ronald Ross (Inglaterra))
1903 — Niels Ryberg Finsen (Dinamarca)
1904 — Ivan Petrovich Pavlov (Rússia)
1905 — Robert Koch (Alemanha)
1906 — Camillo Golgi (Itália)
1906 — Santiago Ramón y Cajal (Espanha)
1907 — Charles Louis Alphonse Laveran (França)
1908 — Ilya Ilyich Mechnikov (Rússia)
1908 — Paul Ehrlich (Alemanha)
1909 — Emil Theodor Kocher (Alemanha)França
1910 — Albrecht Kossel (Alemanha)
1911 — Allvar Gullstrand (Suécia)
1912 — Alexis Carrel (França)
1913 — Charles Robert Richet (França)
1914 — Robert Bárány (Áustria)
1915 — Não houve atribuição
1916 — Não houve atribuição
1917 — Não houve atribuição
1918 — Não houve atribuição’
1919 — Jules Bordet (Bélgica)
1920 — Schack August Steenberg Krogh (Dinamarca)
1921 — Archibald Vivian Hill (Inglaterra)
1922 — Otto Fritz Meyerhof (Alemanha)
1923 — Frederick Grant Banting (Canadá)
1923 — John James Richard Macleod (Canadá)
1924 — Willem Einthoven (Holanda)
1925 — Não houve atribuição
1926 — Johannes Fibiger (Dinamarca)
1927 — Julius Wagner von Jauregg (Áustria)
1928 — Charles Nicolle (França)
1929 — Christiaan Eijkman (Holanda)
1929 — Frederick Gowland Hopkins (Inglaterra)
1930 — Karl Landsteiner (Áustria)
1931 — Otto Heinrich Warburg (Alemanha)
1932 — Charles Scott Sherrington (Inglaterra)
1932 — Edgar Douglas Adrian (Inglaterra)
1933 — Thomas Hunt Morgan (Estados Unidos)
1934 — George Whipple (Estados Unidos)
1934 — George Minot (Estados Unidos)
1934 — William Murphy (Estados Unidos)
1935 — Hans Spemann (Alemanha)
1936 — Henry Dale (InglaterraNova)
1936 — Otto Loewi (Alemanha)
1937 — Albert Szent-Györgyi (Hungria)
1938 — Corneille Heymans (Bélgica)
1939 — Gerhard Domagk (Alemanha)
1940 — Não houve aribuição
1941 — Não houve atribuição
1942 — Não houve atribuição
1943 — Henrik Dam (Dinamarca)
1943 — Edward Doisy (Estados Unidos)
1944 — Joseph Erlanger (Estados Unidos)
1944 — Herbert Gasser (Estados Unidos)
1945 — Alexander Fleming (Escócia)
1945 — Ernst Chain (Alemanha)
1945 — Howard Florey (Austrália)
1946 — Hermann Muller (Estados Unidos)
1947 — Carl Ferdinand Cori (Estados Unidos)
1947 — Gerty Cori (Estados Unidos)
1947 — Bernardo Houssay (Argentina)
1948 — Paul Hermann Müller (Suiça)
1949 — Walter Rudolf Hess (Suíça)
1949 — António Egas Moniz (Portugal)
1950 — Edward Calvin Kendall (Estados Unidos)
1950 — Philip Showalter Hench (Estados Unidos)
1950 — Tadeusz Reichstein (Polônia)
1951 — Max Theiler (África do Sul)
1952 — Selman Waksman (Ucrânia)
1953 — Fritz Albert Lipmann (Estados Unidos)
1953 — Hans Krebs (Alemanha)
1954 — Frederick Chapman Robbins (Alemanha)
1954 — John Franklin Enders (Alemanha)
1954 — Thomas Huckle Weller (Alemanha)
1955 — Axel Hugo Theodor Theorell (Suécia)
1956 — André Cournand (França)
1956 — André Cournand (Estados Unidos)
1956 — Werner Forssmann (Alemanha)
1957 — Daniel Bovet (Suíça)
1958 — Edward Tatum (Estados Unidos)
1958 — George Beadle (Estados Unidos)
1958 — Joshua Lederberg (Estados Unidos)
1959 — Severo Ochoa (Espanha)
1959 — Arthur Kornberg (Estados Unidos)
1960 — Frank Burnet (Austrália)
1960 — Peter Brian Medawar (Inglaterra)
1961 — Georg von Békésy (Hungria)
1962 — James Watson (Estados Unidos)
1962 — Maurice Wilkins (Nova Zelândia)
1962 — Francis Crick (Inglaterra)
1963 — John Eccles (Austrália)
1963 — Alan Hodgkin (Inglaterra)
1963 — Andrew Huxley (Inglaterra)
1964 — Feodor Lynen (Alemanha)
1964 — Konrad Bloch (Alemanha)
1965 — André Michel Lwoff (França)
1965 — Jacques Monod (França)
1966 — Charles Huggins (Estados Unidos)
1966 — Francis Rous (Estados Unidos)
1967 — George Wald (Estados Unidos)
1967 — Haldan Hartline (Estados Unidos)
1967 — Ragnar Granit (Finlândia)
1968 — Marshall Nirenberg (Estados Unidos)
1968 — Robert Holley (Estados Unidos)
1968 — Har Khorana (Índia)
1969 — Max Delbrück (Alemanha)
1969 — Alfred Hershey (Estados Unidos)
1969 — Salvador Luria (Itália)
1970 — Bernard Katz (Alemanha)
1970 — Julius Axelrod (Estados Unidos)
1970 — Ulf Svante von Euler (Suécia)
1971 — Earl Sutherland (Estados Unidos)
1972 — Gerald Edelman (Estados Unidos)
1972 — Rodney Porter (Inglaterra)
1973 — Karl Ritter von Frisch (Àustria)
1973 — Konrad Lorenz (Áustria)
1973 — Nikolaas Tinbergen (Holanda)
1974 — Albert Claude (Bélgica)
1974 — Christian de Duve (Bélgica)
1974 — George Palade (Romênia)
1975 — David Baltimore (Estados Unidos)
1975 — Howard Martin Temin (Estados Unidos)
1975 — Renato Dulbecco (Itália)
1976 — Baruch Blumberg (Estados Unidos)
1976 — Daniel Carleton Gajdusek (Estados Unidos)
1977 — Rosalyn Yalow (Estados Unidos)
1977 — Roger Guillemin (França)
1977 — Andrzej Schally (Polônia)
1978 — Daniel Nathans (Estados Unidos)
1978 — Hamilton Smith (Estados Unidos)
1978 — Werner Arber (Suíça)
1979 — Allan Cormack (África do Sul)
1979 — Godfrey Hounsfield (Inglaterra)
1980 — George Davis Snell (Estados Unidos)
1980 — Jean Dausset (França)
1980 — Baruj Benacerraf (Venezuela)
1981 — David Hubel (Estados Unidos)
1981 — Roger Sperry (Estados Unidos)
1981 — Torsten Wiesel (Suécia)
1982 — John Vane (Inglaterra)
1982 — Bengt Samuelsson (Suécia)
1982 — Sune Bergström (Suécia)
1983 — Barbara McClintock (Estados Unidos)
1984 — Georges Köhler (Alemanha)
1984 — César Milstein (Argentina)
1984 — Niels Jerne (Inglaterra)
1985 — Joseph Goldstein (Estados Unidos)
1985 — Michael Stuart Brown (Estados Unidos)
1986 — Stanley Cohen (Estados Unidos)
1986 — Rita Levi-Montalcini (Itália)
1987 — Susumu Tonegawa (Japão)
1988 — George Hitchings (Estados Unidos)
1988 — Gertrude Elion (Estados Unidos)
1988 — James Black (Inglaterra)
1989 — Harold Varmus (Estados Unidos)
1989 — John Michael Bishop (Estados Unidos)
1990 — Edward Donnall Thomas (Estados Unidos)
1990 — Joseph Murray (Estados Unidos)
1991 — Bert Sakmann (Alemanha)
1991 — Erwin Neher (Alemanha)
1992 — Edwin Krebs (Estados Unidos)
1992 — Edmond Fischer (Suíça)
1993 — Phillip Allen Sharp (Estados Unidos)
1993 — Richard Roberts (Inglaterra)
1994 — Alfred Gilman (Estados Unidos)
1994 — Martin Rodbell (Estados Unidos)
1995 — Christiane Nüsslein-Volhard (Alemanha)
1995 — Edward Lewis (Estados Unidos)
1995 — Eric Wieschaus (Estados Unidos)
1996 — Peter Doherty (Austrália)
1996 — Rolf Zinkernagel (Suíça)
1997 — Stanley Prusiner (Estados Unidos)
1998 — Ferid Murad (Estados Unidos)
1998 — Louis Ignarro (Estados Unidos)
1998 — Robert Furchgott (Estados Unidos)
1999 — Günter Blobel (Alemanha)
2000 — Eric Kandel (Áustria)
2000 — Paul Greengard (Estados Unidos)
2000 — Arvid Carlsson (Suécia)
2001 — Leland Hartwell (Estados Unidos)
2001 — Paul Nurse (Inglaterra)
2001 — Richard Timothy Hunt (Inglaterra)
2002 — Sydney Brenner (África do Sul)
2002 — Robert Horvitz (Estados Unidos)
2002 — John Sulston (Inglaterra)
2003 — Paul Christian Lauterbu (Estados Unidos)
2003 — Peter Mansfield (Inglaterra)
2004 — Linda Buck (Estados Unidos)
2004 — Richard Axel (Estados Unidos)
2005 — Barry J. Marshall (Austrália)
2005 — John Robin Warren (Austrália)
2006 — Andrew Fire (Estados Unidos)
2006 — Craig Mello (Estados Unidos)
2007 — Martin Evans (Inglaterra)
2007 — Oliver Smithies (Inglaterra)
2007 — Mario Capecchi (Itália)
2008 — Harald zur Hausen (Alemanha)
2008 — Françoise Barré-Sinoussi (França)
2008 — Luc Montagnier (França)
2009 — Carol Greider (Estados Unidos)
2009 — Elizabeth Blackburn (Estados Unidos)
2009 — Jack Szostak (Estados Unidos)
2010 — Robert Geoffrey Edwards (Inglaterra)
2011 — Ralph Steinman (Canadá)
2011 — Bruce Beutler (Estados Unidos)
2011 — Jules Hoffmann (França)
2012 — John Gurdon (Inglaterra)
2012 — Shinya Yamanaka (Japão)
2013 — James Rothman (Estados Unidos)
2013 — Randy Schekman (Estados Unidos)
2013 — Thomas Südhof (Alemanha)



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados