banner-topo

O Nobel de Química de 2015 foi para um sueco, um americano e um turco

2015-vencedores1Prêmio Nobel de Química

07/09/2015 — O Nobel de Química 2015 premiou três pesquisadores que mapearam os mecanismos biomoleculares naturais com os quais as células reparam erros no DNA e preservam sua informação genética. O sueco Tomas Lindahl, o americano Paul Modrich e o turco Aziz Sancar receberam o reconhecimento pelas suas contribuições para o conhecimento das funções celulares que são usadas, atualmente, para o desenvolvimento de novos tratamentos de câncer. De acordo com a Academia Real Sueca de Ciências, os cientistas descobriram mecanismos que existem em quase todos os seres vivos e funcionam como uma “caixa de ferramentas” natural para “consertar defeitos” que surgem, espontaneamente, na cadeia genética.

Aziz-Sancar15aAzis Sancar nasceu no dia 8 de setembro de 1946, na cidade de Savur, Mardin, Turquia. Completou o seu doutorado na Universidade de Stambul. Em 1977, assumiu o posto de professor emérito da Universidade de Dallas, Texas, Estados Unidos. Seu estudo mais conhecido envolve a fotoliase e os mecanismos de foto-reativação. Em 2015, foi eleito para a Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. É co-fundador da Fundação Aziz Sancar e Gwen, uma organização sem fins lucrativos que promove a cultura turca e apoia estudantes daquele país em solo americano.

Paul-Modrich15aPaul Modrich nasceu no dia 13 de junho de 1946, na cidade de Raton, Novo México, Estados Unidos. Terminou seu doutorado em 1973, na Universidade de Stanford. Passou a integrar o corpo docente da instituição em 1976. A partir de 1994, passou a trabalhar como pesquisador do laboratório Howard Hughes. Foi aí que ficou conhecido pela pesquisa envolvendo o reparo incompatível do DNA. É membro da Academia Americana de Artes e Ciências, do Instituto Americano de Medicina e da Academia Nacional de Ciências. Seus estudos ajudaram a produção de medicamentos de combate ao câncer.

Tomas-Lindahl15aTomas Lindahl nasceu no dia 28 de janeiro de 1938, na cidade de Estocolmo, Suécia. Depois que conseguiu o seu doutorado, fez pesquisas nas universidades de Princeton e Rockfeller, ambas nos Estados Unidos. Entre 1978 e 1982, foi professor de química médica na Universidade de Gotemburgo, em seu país. Mudou-se depois para a Inglaterra, onde passou trabalhar na Fundação Imperial de Pesquisa Sobre o Câncer. Desde 2009, é pesquisador do Instituto Francis Crick de Londres. Antes do Nobel, foi laureado com a Medalha Real, em 2007, e com a Medalha de Copley, em 2010.



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados