Imprimir
Categoria: Atrizes Californianas
Acessos: 107

plano b1Plan B

18/08/2019 — O filme “Plano B”, uma comédia, estreou mundialmente no dia dez de novembro de 2001. Trouxe no papel principal a veterana Diane Keaton, então com 55 anos. Ela faz a atrapalhada Fran, uma mulher incapaz de matar uma mosca. Porém, por uma ironia do destino, começa a trabalhar para o gângster Joe Maloni, que lhe deixa a responsabilidade pelo acerto de contas com devedores não cumpridores de tratos. A Fran tem permissão até para matar, mas coloca em prática uma nova idéia: o tal Plano B. A Diane, em seu 45.º crédito como atriz, está hilariante, ao lado dos também vetetanos Paul Sorvino, Maury Chaykin e Burt Young. Em 2019, a atriz, com 73 anos, esteve nos cinemas brasileiros com a comédia “As Rainhas da Torcida”.

20190818Diane
DIANE HALL nasceu no dia cinco de janeiro de 1946, na cidade de Santa Ana, Estado da Califórnia, Estados Unidos. Desde cedo se interessou pela carreira artística. Por isso, ao lado dos estudos formais, estudou teatro. Começou profissionalmente em 1968, como atriz substituta no famoso musical “Hair”, exibido na Broadway, em Nova York. Ao cinema, chegou em 1970, num pequeno papel na comédia “As Mil Faces do Amor”. O primeiro papel de destaque, a personagem Kay Adams, veio em 1972, no famosíssimo “O Poderoso Chefão”. No mesmo ano, pelas mãos do diretor Woody Allen, encarnou a primeira protagonista, a personagem Linda, da comédia romântica “Sonhos de Um Sedutor”.

Ainda na década de 1970, realizou outros grandes filmes. A crítica reconheceu o talento dela em 1978 ao lhe dar o Oscar e o Globo de Ouro de melhor atriz pelo desempenho na comédia romântica “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, também dirigida pelo Woody Allen. Ela faz uma cantora em início de carreira, de cabeça oca, objeto do desejo de um humorista judeu mais complicado do que ela. O filme ganhou o Oscar do ano e fez US$ 38,3 milhões nas bilheterias. A década de 1980 também foi uma época muito produtiva na carreira da Diane Keaton, com a realização de dez filmes. Em 1990, voltou à personagem Kay Adams, no “O Poderoso Chefão III”. Em 2003, trabalhando com o Jack Nicholson, destacou-se comédia romântica “Alguém Tem Que Ceder”. Pelo desempenho, ganhou o Globo de Ouro de melhor atriz de comédia. No total, na carreira, até 2019, são 68 créditos.