setimo guardiao17.º Guardião

07/06/2019 — A atriz Flávia Alessandra, que, nesta data, completou quarenta e cinco anos, não foi bem aproveitada novela “O Sétimo Guardião”, exibida na faixa das 21 horas da TV Globo entre novembro de 2018 a maio de 2019. Ela fez a esposa sensual do delegado Joubert Machado (Milhem Cortaz), da fictícia cidade de Serro Azul. A personagem Rita de Cássia apresentou-se como uma dona de casa enfastiada, com sonhos de se tornar uma grande atriz. Para isso, contrata um cinegrafista para fazer um documentário, posando em cachoeiras com sumários biquínis. A novela terminou e o telespectador não ficou sabendo que fim levou a personagem. Para a crítica, um desperdído do evidente talento da atriz. Informa-se nos corredores da TV Globo que a Flávia voltará como protagonista na próxima novela das 19 horas.

Flávia

F-Alessandra15bFLÁVIA ALESSANDRA MARTINS DA COSTA nasceu no dia 7 de junho de 1974, na cidade do Arraial do Cabo, Rio de Janeiro. Filha de uma professora e de um comandante da Marinha, começou a carreira fazendo pequenos trabalhos como modelo. A estreia na televisão se deu em 1989, quando participou de um concurso no programa “Domingão do Faustão”. O prêmio pela conquista do primeiro lugar foi uma vaga na novela “Top Model”. Depois de várias participações como coadjuvante, fez a sua primeira protagonista em 2001, na novela “Porto dos Milagres”. No mesmo ano, na edição de março, apareceu na seção “Mulheres Que Amamos” da revista Playboy.

F-Alessandra15cUma Cena Cheia De Emoção
Veja
— 08/08/2001 — Foi a atuação mais convincente da Flávia Alessandra desde a estreia da “Porto dos Milagres”. O roteiro pedia que ela entrasse no mar de calça jeans e tudo, em Grumari, no Rio de Janeiro, para uma cena em que sua personagem, Lívia, salvaria um menino que se afogava. Na hora de gravar, o garoto se assustou com as ondas fortes e segurou com força no pescoço da sua “salvadora”, que, na vida real, não sabe nadar muito bem. Resultado: quem bebeu água foi ela, que saiu do mar com a ajuda dos salva-vidas de plantão. Passado o susto, encarou mais gravações. “Na hora, fiquei assustada. Mas, quando cheguei em casa, já tinha até esquecido”, disse.

F-Alessandra15eQueijo Dela
Veja — 29/12/2007 — A antena do Juvenal sobe e o Ibope também quando Flávia Alessandra mostra as duas caras na novela idem. Como Alzira, a falsa enfermeira, ela testou os limites da credulidade e da tolerância do público ao rebolar praticamente tudo no pole dancing, a dança típica das strippers, que, agora, todo mundo sabe como é. Por causa dela, a novela foi reclassificada e a boate fictícia, explodida. Alzira troca o queijo, que agora também todo mundo sabe que não é o laticínio, pelo expediente numa academia de ginástica. Ou seja, continua na dança, com um pouco mais de roupa e um pouco menos de atrevimento.

F-Alessandra15aCapa Da VIP
06/10/2015 — A VIP — a revista que tomou definitivamente da Playboy a preferência das grandes estrelas —trouxe na capa, a superestrela Flávia Alessandra. No alto dos seus 41 anos completados em junho, a bela fluminense também é o recheio de um ensaio sensual de dez páginas, assinado pelo fotógrafo Maurício Nahas. Ela usa vestido e blazer da grife Zara; anel, gargantilha e pulseira da Tarento; sapatos da Christian Louboutin e da Arezzobody da Darling e da Intensify.me; calcinha da Janiero; luvas da Ratier; pulseiras da Colcci; brincos da Cosmopolitan; camisas da Uma e da Shoulder; sutiãs e calcinhas da Scala e da Calvin Klein; e camiseta da B. Luxo. O último trabalho da Flávia na televisão foi a novela “Além do Horizonte”, exibida entre 2013 e 2014.

20170405 a-lei-e-para-todos2Lei Para Todos
05/04/2017 — A Flávia Alessandra ficará fora da tevê neste ano. A atriz, que trabalhou na novela “Eta Mundo Bom!”, voltará às novelas somente no ano que vem, na “O Sétimo Guardião”, do Aguinaldo Silva. Até lá, ela vai se dedicar a projetos cinematográficos. Morena, acaba de rodar o filme “Polícia Federal — A Lei É Para Todos”. Na produção, a atriz faz a delegada Beatriz. Poucos sabem, mas ela é formada em direito. Por isso, interpretar uma mulher da lei não foi difícil. A personagem é inspirada nas mulheres que fazem parte da Operação Lava-Jato. Entre elas, a principal da história é a delegada Erika Malena. Foi ela quem deu nome à opreação, mas tem outras duas mulheres.

O filme começa narrando o princípio de tudo, quando se achava que a uma operação mirava apenas doleiros. A atriz está muito empolgada com o longa-metragem porque o projeto tem uma mistura de gêneros pouco explorada no cinema nacional, o suspense com o policial. Além disso, retrata um momento importante para toda a população. A intenção dos produtores é transformar a trama numa triologia, com um filme por ano, pois a Lava-Jato está longe de terminar. O filme retrata a parte investigativa da Polícia Federal, mas tem muita ação e muita informação. O laboratório da Flávia foi in loco, nas salas da instituição em Curitiba, no Paraná. Os atores tiveram acesso a grande parte da investigação para entender todo o processo, a forma pequenininha como tudo começou numa sala e que hoje toma conta de dois andares do prédio. O filme deverá estrear nos cinemas brasileiros em julho.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados