Segunda Chamada

28/05/2020 — “Segunda Chamada” é uma série de televisão produzida pela O2 Filmes e exibida pela Rede Globo a partir de oito de outubro de 2019. Baseada na peça teatral “Conselho de Classe”, do Jô Bilac, tem roteiro da Carla Faour e da Julia Spadaccini. A direção  ficou a cargo do Breno Moreira, do João Gomez e do Ricardo Spencer. O destaque da série é a atriz Débora Bloch, uma das mais respeitadas da televisão em todos os tempos. Na trama, depois de anos afastadas do ofício, a personagem Lúcia volta a lecionar na Escola Estadual Carolina Maria de Jesus, assumindo a turma de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Ela tem a difícil missão de fazer alunos com histórias difíceis a se formarem. A aceitação do público foi muito boa. Por isso, a produção anunciou a segunda temporada para 2020.

segunda chamada1

DÉBORA BLOCH nasceu no dia 29 de maio de 1963, na cidade de Belo Horizonte, capital das Minas Gerais. Filha do ator Jonas Bloch, desde cedo viveu no meio de atores e atrizes. Começou a carreira com 17 anos, após fazer cursos especiais de artes cênicas. Profissionalmente, estreou com a peça “Rasga Coração”. Continuou atuando no teatro até estrear na televisão, em 1981, na novela “Jogo da Vida”, exibida pela TV Globo. No cinema, estreou em 1984, fazendo, além do “Betty Balanço”, o “Noites de Sertão”, baseado numa novela do mineiro Guimarães Rosa. Com este filme, ganhou os troféus de melhor atriz no Festival de Gramado, no Festival de Brasília e no Festival de Cartagena. Até 2019 foram 41 produções televisivas, onze filmes e oito peças teatrais. É uma das atrizes mais premiadas do país.

bete balanco1Bete Balanço
01/08/1984 — Na televisão, Débora Bloch já tinha mostrado todo o seu talento. No filme “Bete Balanço”, ela mostrou tudo. Ela vive a história de uma jovem cantora que batalhava pelo sucesso. Nessa luta, ela resolve deixar a cidade natal e parte para o Rio de Janeiro em busca do seu sonho. Na capital carioca, decepciona-se com os empresários da música e com a violência urbana. Encontra achego, porém, nos braços do namorado, vivido pelo ator Lauro Corona. Aproxima-se também da Bia, personagem da Maria Zilda Bethlem, numa sugestão não confirmada de lesbianismo. Com trilha sonora composta pelo Cazuza, há várias cenas em que Débora mostra toda a sua beleza.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados