a bela da tarde1Belle de Jour

08/05/2019 — A crítica especializada costuma inscrever o filme “A Bela da Tarde” como o principal trabalho da atriz francesa Catherine Deneuve, ícone sexual do cinema nas décadas de 1960 e 1970. Na trama, dirigida pelo cineasta Luís Bruñel, ela interpreta a personagem Séverine Serizy, jovem e bem-comportada esposa de um famoso médico parisiense. Numa tarde, a beldade vai a um bordel e se sente irresistivelmente atraída pela prostituição. O filme mistura fantasia e realidade, nas quais se destacam as obsessões do diretor contra o catolicismo e a hipocrisia social. O trabalho ganhou o Leão de Ouro do Festival de Veneza. Foi o vigésimo segundo crédito da Catherine Deneuve como atriz.

Catherine
20190509a

CATHERINE FABIENNE DORLÉAC nasceu no dia 22 de outubro de 1943, na cidade de Paris, capital da França. Dona de incrível beleza, foi “descoberta” pelo diretor Roger Vadim, que lhe abriu as portas do cinema. Começou a carreira com apenas catorze anos, em 1957, num pequeno papel do filme “Amores de Colegiais”. A primeira protagonista, a personagem Geneviève Emery, do drama romântico “Os Guarda-Chuvas do Amor”, veio em 1964. Depois de diversos outros papéis de importância, ficou famosa mundialmente em 1967 com o drama “A Bela da Tarde”. O reconhecimento da crítica, porém, aconteceu em 1981 com o prêmio César (o Oscar francês) de melhor atriz pelo desempenho no drama romântico “Último Metrô”. Ganhou novamente o prêmio em 1992 com o drama de guerra “Indochina”. Registra no currículo 136 créditos como atriz. Em 2019, esteve no drama “Adeus Noite” e terminou a aventura “Selva Terrível”.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados