Danielle Winits
daniele winits ft1daniele winits ft2

09/05/2016 — Nada está de pé na vida da Cassandra (Juliana Paiva), da Débora (Olivia Torres) e do Hugo (Orã Figueiredo), personagens da novela “Totalmente Demais”. O nome do fenômeno não natural do estrago é a Suely, personagem da Danielle Winits. Está cabendo à atriz de 42 anos dar vida à mulher que abandonou a família há 20 anos. Na novela das sete, a desnaturada retorna de olho no dinheiro que o marido ganhou na loteria. Nada de amor, só interesse mesmo. Assim, a pedido da direção, ela aparece como um furacão. Sua participação será em doze capítulos. A chegada da Danielle não mexeu apenas com a história, mas também com todo o elenco. Afastada das novelas desde 2013, quando fez a Amarilys, da “Amor à Vida”, sua atuação é marcada pelo humor e pelo descaramento. 

daniele vinits ft3DANIELLE WINITSKOWSKI DE AZEVEDO nasceu no dia 5 de janeiro de 1973, na cidade do Rio de Janeiro. Sempre interessada na vida artística, fez cursos de balé, artes e interpretação, tornando-se uma atriz de teatro, cinema e televisão. No teatro sempre preferiu musicais, destacando-se como bailarina e cantora. Iniciou a carreira na televisão em 1993, com uma participação na minissérie “Sex Appeal”.

No teatro sua estreia se deu no ano seguinte, com a peça musical “Band-Aid”. No cinema sua primeira atuação aconteceu em 1999, com o longa-metragem “Até que a Vida Nos Separe”. Nas novelas, seu primeiro sucesso foi na novela “A Cor do Pecado”. A partir daí, passou a ser uma das referências para as produções da TV Globo. Até 2014 foram quase quarenta produções, entre novelas, séries, minisséries e participações especiais. No cinema foram dez filmes, com destaque para “Até Que a Sorte Nos Separe” (2012). Em 2014, resolveu montar um centro de artes no Rio de Janeiro para administrar projetos culturais. Nesse período também teve relacionamentos amorosos tumultuados.

d-winits2Principais Trabalhos Na Televisão
1993-1993 — Sex Appeal (minissérie)
1993-1994 — Olho Por Olho (novela)
1995-1995 — A Próxima Vítima (novela)
1995-1996 — Cara ou Coroa (novela)
1997-1997 — A Justiceira (série)
1998-1998 — Corpo Dourado (novela)
1999-1999 — Chiquinha Gonzaga (minissérie)
2000-2001 — Uga Uga (novela)
2001-2002 — O Clone (novela)
2002-2002 — O Quinto dos Infernos (minissérie)
2002-2002 — Pastores da Noite (minissérie)
2003-2004 — Kubanakan (novela)
2006-2007 — Páginas da Vida (novela)
2007-2007 — Minha Nada Mole Vida (série)
2008-2008 — Guerra e Paz (série)
2009-2009 — Cinquentinha (minissérie)
2010-2010 — A Vida Alheia (série)
2012-2013 — Malhação (novela)
2013-2014 — Amor à Vida (novela)
2015-2015 — Tomara Que Caia (humorístico)
2016-2016 — Totalmente Demais (novela)


Playboy de Agosto de 1998
Danielle Winits
apareceu pela primeira vez na Playboy em agosto de 1998. Foi a capa da edição do 23.º aniversário da revista. Na época, ela vivia a personagem Alicinha na novela “Corpo Dourado”, exibida pela TV Globo na faixa das 19 horas. A personagem era uma modelo em fim de carreira à procura de um bom casamento. Fez com Jorginho (Gerson Brenner) o casal mais divertido da história. Disse à revista: “A Alicinha tem um espírito de quem encara a vida com felicidade”. Na época, a beldade tinha 1m64cm , 54 quilos, 90cm de busto, 64cm de cintura, 95cm de quadris e 58cm de coxa. As fotos, feitas em Las Vegas, nos Estados Unidos, embora venham assinadas pelo badalado J. R. Duran, não são de boa qualidade. Um visual forçado da cidade-luz norte-americana.

Playboy de Outubro de 2003
A segunda capa da Danielle Winits para a Playboy aconteceu em outubro de 2003, no auge dos seus trinta anos. Desta vez, ela se mostrou “mais arrojada” do que no ensaio anterior, mostrando muito mais do que mostrou em 1998. Nessa época, ela vivia a personagem Marisol na novela “Kubanakan”, exibida pela TV Globo na faixa das 19 horas. A novela foi uma alegoria sobre um fictício país sul-americano. A personagem, depois de envolvimentos com Enrico (Vladimir Brichta), com Esteban (Marcos Pasquim) e com Camacho (Humberto Martins), parte para trabalhar como corista no hotel-cassino Copacabana. O ensaio, cujas fotos foram assinadas pelo fotógrafo J. R. Duran, é muito bonito e ocupa vinte páginas, com direito a dois pôsteres centrais. Cada foto conta com um comentário de um leitor da revista.

Vip de Junho de 2004
Em junho de 2004, Danielle Winits brilhava no espetáculo musical “Chicago”, baseado no homônimo norte-americano, que havia virado filme. Ela viveu a personagem Velma Kelly, que, no cinema, foi feita por Catherine Zeta-Jones. Por isso, foi convidada para ser a capa da revista Vip daquele mês, o que incluiu um ensaio sensual de dez páginas internas, tendo como tema o visual do espetáculo. As fotos foram assinadas pela fotógrafa Bia Parreiras, enquanto o texto e a entrevista ficaram a cargo do jornalista Carlos Amoedo.


Carioquinhas

UP TOGGLE DOWN

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados