banner-topo

De acordo com pesquisa do IBGE, o setor de serviços variou positivamente em 0,1%

servicos2Pesquisa Mensal de Serviços

16/07/2017 — No mês de maio de 2017, o setor de serviços ficou praticamente estável, com uma taxa de 0,1% no volume de serviços prestados, na série livre de influências sazonais, após ter registrado crescimento de 1,0%, em abril, e recuo de 2,6%, em março. Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o setor registrou queda de 1,9%, a menor desde abril de 2015, contra recuos de 5,7% em abril e de 5,2% em março. Com esses resultados, a taxa acumulada no ano ficou em - 4,4% e, em 12 meses, - 4,7%. A receita nominal do setor em maio registrou variação positiva de 0,3%, em relação a abril, na série livre de influências sazonais. A variação sem ajuste sazonal ficou em 3,9%, na comparação com mesmo mês do ano anterior. A taxa acumulada no ano ficou em 1,3% e, em 12 meses, 0,4%.

O Desempenho Em 2016
15/02/2017 — O volume do setor de serviços apresentou, no mês de dezembro, crescimento de 0,6% frente a novembro, na série com ajuste sazonal, após ter registrado alta de 0,2% em novembro e recuo de 2,3% em outubro. No confronto com igual mês do ano anterior, o setor registrou queda de 5,7%, a maior para o mês de dezembro nessa comparação desde o início da série em 2012. A taxa acumulada no ano de 2016 ficou em - 5,0%. A receita nominal registrou variação de 0,5% em dezembro frente a novembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve queda de 1,5%. A taxa acumulada da receita no ano de 2016 ficou em - 0,1%.

A Pesquisa Mensal de Serviços produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, que monitora os empregos formais, corroboram os números da pesquisa do IBGE. No Brasil, no ano passado, o setor fechou com 418.801 empregos a menos. Só no Estado de São Paulo foram 124.896 vagas fechadas (29,8% do total). Em São Paulo, capital, foram fechadas 55.740 vagas e em Ribeirão Preto, 1.481. Em Franca, porém, os serviços criaram 878 novas vagas.



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados