Serviços & Emprego
servicos2

Em novembro, o setor de serviços cresceu 1,0% em relação a outubro (série com ajuste sazonal), após recuos de 0,8% em outubro e de 0,1% em setembro. Na comparação com novembro de 2016 (série sem ajuste sazonal), o volume de serviços variou -0,7%, contra -0,4% em outubro (revisado) e -3,2% em setembro. Com esses resultados, a taxa acumulada no ano ficou em -3,2% e, em 12 meses, -3,4%. Por atividades, na série com ajuste, apenas o segmento de “outros serviços” não teve variação positiva em relação a outubro. Os “serviços prestados às famílias” e os “serviços de informação e comunicação” (ambos com 0,9%) tiveram o maior crescimento, seguidos pelo “transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio” (0,6%) e “serviços profissionais, administrativos e complementares” (0,2%). O agregado especial do “atividades turísticas” teve alta de 0,9% em relação a outubro. Os dados são do IBGE.

Emprego Formal
Na esteira do pequeno crescimento do setor de serviços, o emprego formal na área criou, entre janeiro e novembro de 2017, o total de 91.133 novas vagas. No mesmo período de 2016, houve o fechamento 261.147 postos de trabalho, segundo os dados oficiais do Ministério do Trabalho. O segmento dos “serviços educacionais” foi o que mais criou vagas nos 11 primeiros meses do ano passado: 57.736. Por outro lado, no segmento “serviços de hotelaria e alimentação” houve uma retração de 40.274 vagas. No Estado de São Paulo, os serviços também ficaram no positivo em termos de emprego formal. Foram criadas 52.681 novas vagas, representando 57,8% do total do país.  A cidade de São Paulo, no mesmo período, criou 24.441 vagas (46,39% do total do estado). A cidade de Franca registrou 984 novas vagas (1,87% do total do estado).

O Desempenho Em 2016
15/02/2017 — O volume do setor de serviços apresentou, no mês de dezembro, crescimento de 0,6% frente a novembro, na série com ajuste sazonal, após ter registrado alta de 0,2% em novembro e recuo de 2,3% em outubro. No confronto com igual mês do ano anterior, o setor registrou queda de 5,7%, a maior para o mês de dezembro nessa comparação desde o início da série em 2012. A taxa acumulada no ano de 2016 ficou em - 5,0%. A receita nominal registrou variação de 0,5% em dezembro frente a novembro, na série com ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, houve queda de 1,5%. A taxa acumulada da receita no ano de 2016 ficou em - 0,1%.

A Pesquisa Mensal de Serviços produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação. Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, que monitora os empregos formais, corroboram os números da pesquisa do IBGE. No Brasil, no ano passado, o setor fechou com 418.801 empregos a menos. Só no Estado de São Paulo foram 124.896 vagas fechadas (29,8% do total). Em São Paulo, capital, foram fechadas 55.740 vagas e em Ribeirão Preto, 1.481. Em Franca, porém, os serviços criaram 878 novas vagas.


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados