Inflação

combustiveis1

29/03/2021 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 registrou de 0,93% em março. Ficou 0,45% acima da taxa de fevereiro (0,48%). Esse é o maior resultado para um mês de março desde 2015 (1,24%). O IPCA-E, que se constitui no IPCA-15 acumulado trimestralmente, ficou em 2,21%, acima da taxa de 0,95% registrada em igual período de 2020. Este foi o maior IPCA-E para um primeiro trimestre desde 2016 (2,79%). Em doze meses, o IPCA-15, que mede a inflação oficial nos primeiros 15 dias de cada mês, acumula alta de 5,52%, acima dos 4,57% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em março de 2020, a taxa foi de 0,02%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito apresentaram alta em março. O destaque vai para o setor de transportes, com alta geral de 3,79%. O setor da alimentação teve inflação de 0,12%.

Fevereiro
12/03/2021 — O Índice de Preços ao Consumidor Amplo de fevereiro marcou 0,86%, 0,61% acima da taxa de janeiro (0,25%). Esse é o maior resultado para um mês de fevereiro desde 2016, quando registrou 0,90%. No ano, o índice acumula alta de 1,11% e em doze meses de 5,20%, acima dos 4,56% observados nos doze meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2020, a variação carimbou 0,25%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, oito tiveram alta em fevereiro. O maior impacto no índice do mês (0,45%) veio do grupo “transportes” (2,28%) e a maior variação aconteceu no grupo “educação” (2,48%). Juntos, os dois grupos contribuíram com cerca de 70% do resultado do mês.

Na sequência, veio o grupo “saúde e cuidados pessoais” (0,62%), com impacto de 0,08%. O grupo “alimentação e bebidas”, com 0,27% de variação e 0,06% de impacto, desacelerou frente a janeiro (1,02%). Já o grupo “habitação”, que havia recuado 1,07% em janeiro, subiu 0,40%, contribuindo também com 0,06% no resultado do IPCA de fevereiro. Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,13% no “comunicação” e a alta de 0,66% no “artigos de residência”. O grupo “alimentação e bebidas”, com alta de 0,27%, desacelerou pelo terceiro mês consecutivo. Contribuíram para essa desaceleração a queda nos preços da batata (-14,7%), do tomate (-3,30%), do óleo de soja (-3,15%) e do arroz (-1,52). Por outro lado, os preços da cebola subiram 15,6% e os das carnes, 1,72%. A alimentação fora do domicílio registrou alta geral de 0,27%.

IPCA 2021  1,11%
IPCA janeiro  0,25
IPCA fevereiro  0,86
IPCA 12 meses  5,20%


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados