Indústria
automobilistica2

06/09/2019 — Em abril de 2019, a produção industrial nacional variou 0,3%, eliminando, assim, parte do recuo de 1,4% observado em março. No confronto com abril de 2018, a indústria caiu 3,9%. Os dados são da pesquisa mensal do IBGE sobre as idas e vindas desse setor da economia. De acordo com os dados, o setor acumulou perda de 2,7% nos quatro primeiros meses de 2019. O indicador acumulado nos últimos doze meses permaneceu com a trajetória descendente iniciada em julho de 2018 (3,3%). Com esses resultados, a indústria nacional ainda se encontra 17,3% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011. Três das quatro grandes categorias econômicas pesquisadas mostraram expansão em abril. Nos bens de consumo duráveis, o destaque vai para a indústria automobilística, com crescimento de 7,1%. O ramo de couros e calçados, segundo o IBGE, cresceu 5,4%.

alimentos2Emprego
Convalidando os números da pesquisa mensal do IBGE, a criação de emprego pela indústria nacional em abril registrou 20.479 novas vagas com carteira assinada. Esse saldo é decorrente do confronto entre as 233.329 admissões com as 212.850 demissões registradas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados da Secretaria Nacional do Trabalho. O CAGED aponta que, em abril, o setor industrial que mais contratou trabalhadores foi o de “produtos alimentícios e bebidas”, com 9.884 novos postos de trabalho. No acumulado de 2019, a indústria de modo geral contabiliza 293.857 novos empregos com carteira assinada. O saldo é 5,53% menor do que o registrado nos primeiros quatro meses de 2018, de 311.059 novas vagas.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados