Imprimir
Categoria: Setores Econômicos
Acessos: 5828

educacao2Emprego

26/09/2019 — O mercado de trabalho brasileiro criou 121.387 empregos com carteira assinada em agosto. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados pela Secretaria Nacional do Trabalho nesta quarta-feira (25). O saldo decorre das 1,382 milhão de admissões no confronto com as 1,261 milhão de demissões ocorridas no mês. Esse foi o melhor resultado para o mês oito desde 2013, quando foram criadas 127.648 vagas formais. No acumulado de 2019, o saldo está positivo em 593.467 vagas, o melhor desempenho para o período desde 2014, quando a abertura de vagas chegou a 751.456. No mesmo período do ano passado, a criação de vagas registrou 568.551, crescimento de 4,38%.

O resultado de agosto foi puxado pelo setor de serviços, que gerou 61.730 postos formais, seguido pelo comércio, que abriu 23.626 vagas de trabalho. Também tiveram saldo positivo no mês a indústria de transformação (19.517 postos), a construção civil (17.306), a administração pública (1.391 postos) e o setor de extração mineral (1.235). Já a agricultura fechou 3.341 vagas em agosto, enquanto os serviços industriais de utilidade pública registraram fechamento líquido de 77 vagas no mês. Na indústria de calçados, o saldo de agosto fechou com 908 novas vagas. O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada, segundo o Caged, é de R$ 1.619,45, alta real de 0,44% em relação a julho e de 1,97% no comparativo com agosto de 2018. Confira, abaixo, o desepenho dos setores em 2019.

322.954 SERVIÇOS
93.584 INDÚSTRIA
89.280 CONSTRUÇÃO CIVIL
70.992 AGROPECUÁRIA E PESCA
16.088 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
05.527 EXTRATIVISMO MINERAL
03.509 SERVIÇOS DE UTILIDADE PÚBLICA
-62.299 COMÉRCIO

Serviços
26/09/2019 — Em agosto, o setor dos serviços foi o que mais criou empregos com carteira assinada no Brasil. De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Governo Federal, o movimento do oitavo mês do ano registrou 598.900 admissões e 537.170 demissões, com saldo positivo de 61.730 novas vagas de trabalho. O sub-setor que mais contratou em agosto, os “serviços educacionais”, abriu 20.153 novos postos de trabalho. Em seguida, vêm os sub-setores do “comércio e administração de imóveis”, com 17.366 carteiras assinadas, e dos “serviços de saúde”, com 9.110. No acumulado do ano, o setor de serviços já criou 539.640 novas vagas de emprego. Desse total, São Paulo contribuiu com 36,5 % (196.925 vagas). O Brasil, segundo os dados, tem 8,214 milhões de estabelecimentos formalizados e cerca de 39 milhões de empregados nos serviços.