casual feminino1Calçados

09/05/2019 — Refletindo a crise da Argentina e o final dos embarques da temporada de Alto Verão, as exportações de calçados caíram pelo segundo mês consecutivo. Após recuar 9,4% em março, em abril o tombo da receita gerada foi ainda maior, de 17,7% na relação com o mesmo mês do ano passado. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, no mês quatro foram embarcados 9,12 milhões de pares por US$ 76,66 milhões. Em volume, a queda marcou 7,6% na mesma relação. Com o resultado, as exportações, no quadrimestre, somaram 44,16 milhões de pares embarcados, incremento de 9,4%. Eles geraram US$ 343,8 milhões, queda de 0,1% em receita no comparativo com igual período de 2018.

A Abicalçados avalia que o comportamento pode ser explicado, em maior parte, pelo efeito da crise na Argentina, o segundo principal destino no exterior. O fraco desempenho da economia portenha vem afetando as exportações brasileiras desde o segundo semestre do ano passado. Somente em abril, a revés foi de quase 50%, reflexo de mais de 10% de queda nos números gerais. No quadrimestre, a Argentina importou 2,5 milhões de pares por US$ 32 milhões, quedas de 33,1% e de 45,1%, respectivamente, na relação ao mesmo período do ano passado. Por outro lado, os efeitos da guerra comercial instalada entre os Estados Unidos e a China seguem refletindo positivamente nos embarques. Por causa desse conflito, os americanos aumentaram as compras do Brasil. A própria China, embora também venda muito para o Brasil, é um mercado importante, principalmente no que concerne aos sapatos mascuinos.

Estados
A principal origem das exportações brasileiras de calçados segue sendo o Rio Grande do Sul. No quadrimestre, os gaúchos embarcaram 10,25 milhões de pares por US$ 152,24 milhões, incremento de 7,3% em volume e queda de 1,1% em receita em relação ao mesmo período de 2018. O segundo maior exportador do período foi o Ceará. Nos quatro meses, os cearenses embarcaram 16,88 milhões de pares, que geraram US$ 96,9 milhões, incremento tanto em volume (5,9%) quanto em receita (9,8%), no comparativo com igual intervalo do ano passado. Mesmo amargando queda de 4,4% na receita gerada pelos embarques no quadrimestre, São Paulo foi o quarto maior exportador do período. Nos quatro meses, os paulistas somaram 2,6 milhões de pares embarcados por US$ 35,18 milhões. Em pares, o incremento foi de 15,2% em relação a 2018.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados