Calçados Exportações
201804 expo valor

17/05/2018 — As exportações brasileiras de calçados registraram alta de 17,6% em abril no comparativo com o mesmo mês de 2017, totalizando US$ 93,2 milhões, após três meses de quedas. Foram vendidos 9,9 milhões de pares para o exterior no mês passado. No acumulado de janeiro a abril, os embarques somaram 40,36 milhões de pares, o que significou US$ 344,2 milhões em receita, alta de 1,8% em relação a igual período do ano passado. Os embarques de abril são provenientes das vendas realizadas nas primeiras feiras do ano, na Itália, Estados Unidos e Colômbia. Somente nesses eventos, foram alinhavados negócios na ordem de mais de US$ 63 milhões para 2018, segundo relatório da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados. Para o ano, a expectativa é de que os embarques registrem um leve crescimento frente a 2017, que encerrou com 127 milhões de pares exportados para mais de 150 países.

bota1 Tudo vai depender, porém, do comportamento do dólar ante o real. Nos primeiros quatro meses do ano, o principal destino das vendas foi a Argentina, com embarques no valor de US$ 58,36 milhões, aumento de 19,9% no comparativo com igual período de 2017. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, com US$ 51 milhões, queda de 20,8% na relação com o mesmo período do ano passado. O terceiro destino foi a França, com compras de US$ 21 milhões, alta de 21,5% na mesma base de comparação. Os Emirados Árabes, único país árabe entre os vinte maiores compradores, ficou na 17.ª posição, com US$ 4,22 milhões, queda de 12,9% nas importações sobre o primeiro quadrimestre de 2017.

Calçados No Emprego
Em abril de 2018, as indústrias de calçados continuaram como uma das principais fontes de emprego no Brasil. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho, o setor criou 115.898 novos postos de trabalho, crescimento de 93,6% no comparativo com o mesmo mês de 2017. No ano passado, no mês quatro, as calçadistas registraram saldo positivo de 59.856 vagas. O setor iniciou o ano com 37,9 milhões de empregos formais. Em abril esse número subiu para 38,2 milhões, crescimento de 0,8%. No acumulado do primeiro quadrimestre de 2018, o saldo positivo registrou 311.059 vagas. No mesmo período de 2017, o saldo foi negativo em - 9.020 vagas. Do total positivo deste ano, as calçadistas de São Paulo participam com 40,2% (125.203 novas vagas). A cidade de Franca contribuiu com 1,9% (6.023 vagas).

Desempenho em 2017
13/01/2018 — A indústria brasileira de calçados fechou o ano de 2017 com um crescimento de 9,3%  no comparativo com 2016. De janeiro a dezembro, foram embarcados 127,13 milhões de pares, gerando uma receita de 1,1 bilhão de dólares, o melhor resultado desde 2013. Já o desempenho físico ficou apenas 1,2% acima do registrado em 2016, o que demonstra encarecimento do produto brasileiro, especialmente, por causa da desvalorização do dólar, registrada ao longo do ano passado. Mais uma vez, o principal destino do calçado brasileiro foi os Estados Unidos, para onde foram embarcados 11,3 milhões de pares, no valor de 190 milhões de dólares.

O Rio Grande do Sul continuou como o principal estado exportador, responsável por vendas de 451,8 milhões de dólares. Com um total de 289 milhões de dólares, o Ceará ficou em segundo lugar do ranking, em termos de valor, e o primeiro em volume, com 50 milhões de pares. Fechando o pódio dos exportadores de calçados, São Paulo embarcou 7,4 milhões por US$ 113,7 milhões, queda de 18% em volume e incremento de 5,5% em valores em relação ao ano anterior. De acordo com os dados oficiais do Ministério do Trabalho, existem no Brasil 15.891 indústrias de calçados. Elas empregam mais de 280 mil trabalhadores. No Estado de São Paulo são 4.769 empresas, com 40.802 empregados. A cidade de Franca tem 2.986 empresas, com 17.575 empregados.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados