Inflação       

07/09/2019 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de agosto variou 0,11%, ficando 0,08% abaixo da taxa de julho (0,19%). A variação acumulada no ano registra 2,54% e, nos últimos doze meses, em 3,43%, acima dos 3,22% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2018, a taxa marcou -0,09%. De julho para agosto, houve deflação em três dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados. As variações negativas mais intensas vieram dos grupos “alimentação e bebidas(-0,35%) e “transportes(-0,39%). Eles contribuíram com -0,09% e -0,07%, respectivamente, para a formação di IPCA de agosto.

Além disso, o grupo “saúde e cuidados pessoais” também recuou (-0,03%). No lado das altas, destaca-se o grupo “habitação”, com 1,19%, principal impacto no índice. Os demais grupos ficaram entre as altas de 0,09% em “comunicação” e de 0,56% em “artigos de residência”. No grupo “alimentação e bebidas”, a inflação negativa se deveu, principalmente, ao tomate, cujos preços caíram 24,5%. Menção honrosa também para a batata e as hortaliças e verduras, cujos preços despencaram 11,3% e 6,53%, respectivamente. Pelo lado das altas, o destaque ficou com a cebola e as verduras, cujos preços subiram 7,05% e 2,14%, respectivamente. A alimentação fora de casa ficou, em agosto, 0,53% mais cara.

Mês a Mês
0,32% em janeiro
0,43% em fevereiro
0,75% em março
0,57% em abril
0,13% em maio
0,01% em junho
0,19% em julho
0,11% em agosto

IPCA 15
22/08/2019 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, que mede a inflação nos primeiros quinze dias do mês, variou 0,08% em agosto, ficando próximo à taxa de 0,09% registrada em julho. Esse é o menor índice para um mês de agosto desde 2010 (-0,05%). Os dados foram publicados pelo IBGE. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,51% e, em doze meses, de 3,22%, resultado abaixo dos 3,27% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2018, a taxa marcou 0,13%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, quatro apresentaram deflação de julho para agosto.

O grupo “transportes(-0,78%), que já havia apresentado queda em julho (-0,44%), contribuiu com o maior impacto negativo no índice do mês, -0,14%. Os grupos “alimentação e bebidas(-0,17%) e “saúde e cuidados pessoais” (-0,32%) também apresentaram queda em agosto, após registrarem altas de 0,03% e 0,34%, respectivamente, no mês anterior. No lado das altas, o destaque ficou com o grupo “habitação”. Ele apresentou a maior variação (1,42%) e o maior impacto (0,23%) no IPCA-15 de agosto. Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,07% em “vestuário” e a alta de 0,82% em “artigos de residência”. No grupo “alimentação”, os itens cujos preços mais cresceram foram a cebola e as frutas em geral, com altas de 15,2% e 2,87%, respectivamente.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados