IPCA-15

26/05/2020 — Influenciada pela queda nos preços dos combustíveis, a prévia da inflação de maio registrou -0,59%, a deflação mais intensa desde o início do Plano Real, em julho de 1994. A gasolina, com queda de 8,51%, foi o item que apresentou o maior impacto individual negativo, contribuindo com -0,41% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15, medido pelo IBGE nos primeiros quinze dias do mês. É a segunda deflação seguida do IPCA-15. Em abril, o índice registrou -0,01%.  A retração verificada nos combustíveis também influenciou-se pela queda nos preços do etanol (-10,40%), do óleo diesel (-5,50%) e do gás veicular (-1,21%).

As passagens aéreas, que, assim como os combustíveis, fazem parte do grupo “transportes”, tiveram queda de 27,1%, após subirem 14,8% em abril. Este grupo apresentou a maior deflação do mês. O grupo “habitação” recuou -0,27%. No lado das altas, o destaque ficou mais uma vez com o grupo “alimentação e bebidas”, com 0,46%. Nesse grupo, a maior pressão veio do preço da cebola, alta de 33,6%. O feijão subiu 13,6% e o arroz, 2,59%. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 0,35% e, nos doze meses terminados em maio, a variação acumula 1,96%, abaixo dos 2,92% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em maio de 2019, a taxa carimbou 0,35%.

IPCA abril
08/05/2020 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de abril registrou -0,31%. Esta é a menor variação mensal para a inflação oficial desde agosto de 1998 (-0,51%). No ano, o IPCA acumula alta de 0,22% e, nos últimos doze meses, de 2,40%, abaixo dos 3,30% observados nos doze meses imediatamente anteriores. Em abril de 2019, a taxa carimbou 0,57%. Seis dos nove grupos pesquisados pelo IBGE tiveram deflação no mês passado. O maior impacto negativo na composição do índice veio do grupo “transportes”, cujos preços caíram 2,66%. Individualmente nesse grupo, a gasolina teve queda média de 9,31%. Pelo lado das altas, o destaque ficou com o grupo “alimentação e bebidas”, com inflação de 1,79%. Nesse grupo, a cebola liderou, com alta de 34,8%, seguida da batata, com 22,8%, do feijão carioca, com 17,3% e do leite longa vida, com 9,59%.

Inflação
0,21%  Janeiro
0,25% Fevereiro
0,07% Março
- 0,31  Abril

0,22% 2020
2,40% Doze meses


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados