Inflação

08/05/2020 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo de abril registrou -0,31%. Esta é a menor variação mensal para a inflação oficial desde agosto de 1998 (-0,51%). No ano, o IPCA acumula alta de 0,22% e, nos últimos doze meses, de 2,40%, abaixo dos 3,30% observados nos doze meses imediatamente anteriores. Em abril de 2019, a taxa carimbou 0,57%. Seis dos nove grupos pesquisados pelo IBGE tiveram deflação no mês passado. O maior impacto negativo na composição do índice veio do grupo “transportes”, cujos preços caíram 2,66%. Individualmente nesse grupo, a gasolina teve queda média de 9,31%. Pelo lado das altas, o destaque ficou com o grupo “alimentação e bebidas”, com inflação de 1,79%. Nesse grupo, a cebola liderou, com alta de 34,8%, seguida da batata, com 22,8%, do feijão carioca, com 17,3% e do leite longa vida, com 9,59%.

Inflação
0,21%  Janeiro
0,25% Fevereiro
0,07% Março
- 0,31  Abril

0,22% 2020
2,40% Doze meses

IPCA 15
28/04/2020 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 teve variação de -0,01% em abril. Foi o menor resultado para um mês de abril desde o início do Plano Real. Ficou 0,03% abaixo da taxa de março (0,02%). Em abril de 2019, a taxa marcou 0,72%. Em 2020, o IPCA-15 acumula alta de 0,94% e, em doze meses, a variação acumulada foi de 2,92%, abaixo dos 3,67% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Seis dos nove grupos pesquisados tiveram deflação (inflação negativa) em abril. Os destaques das quedas ficaram com o grupo “artigos de residência”, com -3,19%, e com o grupo “transportes”, com -1,47%. Do lado das altas, o grupo “alimentação e bebidas” liderou com 2,46%. O grupo “habitação” registrou aumento de 0,12%. O IPCA-15 mede o nível da inflação nos primeiros quinze dias de cada mês.

IPCA/março
10/04/2020 — O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo variou 0,07% em março, o menor resultado para o mês desde o início do Plano Real (1994). Também ficou 0,18% abaixo da taxa de fevereiro (0,25%). Em março de 2019, a taxa havia marcado 0,75%. O índice acumula no ano alta de 0,53% e, nos últimos doze meses, de 3,30%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, três tiveram deflação em março: “artigos de residência” (-1,08%), “transportes” (-0,90%) e “despesas pessoais” (-0,23). Do lado das altas, o destaque vai para o grupo “alimentação e bebidas”, crescimento de 1,13%. Também subiram os produtos relativos ao grupo “educação(+0,59%) e ao grupo “saúde e cuidados pessoais” (+0,21%). O IBGE comparou os dados coletados entre os dias três e trinta de março.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados