Varejo
moveis e eletros1

14/11/2019 — As vendas no varejo cresceram 0,7% em setembro de 2019 na comparação com agosto. É o quinto resultado positivo consecutivo, período em que o segmento acumulou ganhos de 2,4%. A recuperação em curso no setor registra a menor distância em relação ao nível recorde alcançado em outubro de 2014, de 4,7%. Entre 2015 e 2018, os comerciantes enfrentaram forte retração, de acordo com pesquisa publicada pelo IBGE. Comparado a setembro de 2018, o comércio varejista cresceu 2,1%. No acumulado dos doze meses, o ritmo de crescimento está em 1,5%. Sete das oito atividades pesquisadas apresentaram números positivos. O destaque vai para o sub-setor de “móveis e eletrodomésticos”, com crescimento de 5,2% nos negócios. O sub-setor de “tecidos, vestuário e calçados” cresceu 3,3%. O sub-setor negativo foi o de “equipamentos de informática e comunicação”: -2,0%.

Emprego
Refletindo o movimento das vendas, o comércio varejista brasileiro melhorou o desempenho no que concerne à criação de emprego com carteira assinada. Em setembro, no último levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, está consignada a criação de 23.156 vagas em todo o país. Ésse é o saldo do confronto das 269.974 admissões com as 246.818 demissões registradas no mês. Nos primeiros nove meses de 2019, porém, o varejo acumula 59.382 vagas perdidas. Na comparação com o mesmo período do ano passado (-79.480 vagas), como se vê, houve menos perdas. Para o resultado negativo deste ano, São Paulo contribuiu com 23,5% ou 13.960 vagas fechadas. Em Franca, no período mencionado, foram criadas apenas 409 vagas. Na capital, fecharam-se 2.999 vagas e em Ribeirão Preto, 158.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados