feminino1Calçados

08/07/2019 — último mês do semestre foi de queda nas exportações de calçados. Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados apontam que, no mês seis, foram embarcados 6,4 milhões de pares. Esse movimento gerou que US$ 65,45 milhões. Houve, assim, quedas de 25,8% em volume e de 24,5% em receita, no comparativo com o resultado de junho de 2018. No acumulado do semestre, somaram-se 58,3 milhões de pares embarcados, com faturamento de US$ 480,7 milhões. Esses números são 5,3% superiores em volume e 1,3% menores em valores no comparativo com igual período do ano passado. No semestre, o principal destino das exportações brasileiras de calçados foram os Estados Unidos.

Os americanos compraram 6,4 milhões de pares e US$ 101,25 milhões, incremento de 28,4% em volume e de 34,6% em receita. No segundo lugar, vem a Argentina, com 3,47 milhões de pares e receita de US$ 44,5 milhões, e, no terceiro posto, a França, com 3,47 milhões de pares e US$ 26,2 milhões em receita. O maior exportador ainda é Estado do Rio Grande do Sul. No período mencionado, os fabricantes gaúchos embarcaram 14,2 milhões de pares, com receita de US$ 212,4 milhões, incremento de 5,3% em volume e queda de 2,5% em receita no comparativo com período correspondente de 2018. Em segundo lugar, está o Ceará, com 21,3 milhões de pares e US$ 129,7 milhões em faturamento. A medalha de bronze fica com o Estado de São Paulo: 3,83 milhões de pares e faturamento de US$ 50,7 milhões.

Importações
No primeiro semestre de 2019, foram importados 15,6 milhões de pares por US$ 180,87 milhões, incremento de 2,4% em volume e queda de 1,3% em dólares no comparativo com período correspondente de 2018. Contando apenas o mês de junho, foram importados 1,72 milhão de pares por US$ 26,74 milhões, quedas de 16,7% em volume e de 10% em receita em relação ao mês do ano passado. A principai origem das importações de calçados foi o Vietnã. Registraram-se 5,66 milhões de pares por US$ 89,2 milhões, quedas de 6,5% em volume e de 12% em dólares na relação com mesmo período de 2018. Depois, vem a Indonésia, com 2,33 milhões de pares por US$ 35,87 milhões, altas de 22,6% e de 12%, respectivamente. No terceiro lugar, está a China, com seis milhões de pares por US$ 24,34 milhões, incrementos de 4,3% e de 9,6%, respectivamente.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados