bota1Calçados

18/10/2019 — Influenciadas pela guerra comercial instalada entre as duas maiores potências mundiais — Estados Unidos e China , as exportações brasileiras de calçados caíram no mês de outubro. Dados da Secretaria Nacional de Comércio Exterior apontam que, no mês passado, os calçadistas embarcaram dez milhões de pares. Esse movimento gerou US$ 80,6 milhões. As quedas foram de 14% na receita e de 8,3% no volume em relação ao mesmo mês de 2018. No acumulado de 2019, as exportações somaram US$ 798,9 milhões em valor e 93,3 milhões em pares, incremento de 0,6% e de 4%, respectivamente, no comparativo com igual período do ano passado.

Mercados
Embora as exportações para os Estados Unidos tenham seguido a trajetória de elevação, como resultado da imposição de tarifas de importação locais para calçados chineses, por outro lado, o produto brasileiro perdeu mercado em outros clientes internacionais importantes, alvos da “desova” dos produtos asiáticos. Além do impacto da guerra comercial, houve a sequência da crise argentina e os ajustes do câmbio. Estes ajustes fizeram com que o preço médio do calçado brasileiro caísse 24% nos últimos três meses, de US$ 10,60 para US$ 8,00.  O principal destino do calçado brasileiro no exterior segue sendo os Estados Unidos. No mês de outubro, foram embarcados para lá 945,7 mil pares, com movimento de US$ 14,74 milhões, incremento de 10,5% em volume e queda de 17,4% em receita, no comparativo com o mesmo mês de 2018.

Com o resultado, no acumulado dos dez meses, os americanos somaram a importação de 9,88 milhões de pares ao preço de US$ 165,16 milhões, incremento de 35,2% e de 30,4%, respectivamente, frente ao mesmo período do ano passado. O segundo destino foi a Argentina. Em outubro, os portenhos importaram um milhão de pares por US$ 9,76 milhões, queda de 25,3% e de 13,6%, respectivamente, ante período correspondente de 2018. No acumulado dos dez meses, os argentinos somam a importação de oito milhões de pares por US$ 86,9 milhões, queda tanto em volume (-25,5%) como em receita (-31,2%) na relação com mesmo período do ano passado. Na terceira posição do ranking aparece a França, para onde, em outubro, foram embarcados 584,68 mil pares por US$ 3,53 milhões, altas tanto em volume (16,5%) como em receita (13,3%) na relação com mesmo mês de 2018.

Rio Grande
O Rio Grande do Sul é o principal estado exportador de calçados. Entre janeiro e outubro deste ano, o estado embarcou 25 milhões de pares, com receitas de US$ 365,84 milhões, incremento de 9,8% em volume e de 2,1%, respectivamente. O segundo é o Ceará, de onde partiram 31,8 milhões de pares, os quais geraram US$ 192,73 milhões, queda de 1,7% em volume e incremento de 1,1%. No terceiro posto aparece São Paulo, com o embarque de 6,37 milhões de pares por US$ 86,65 milhões, incremento de 6,6% em volume e queda de 2,3% em receita. Embora no quarto lugar, o destaque é o Estado da Paraíba. O estado nordestino vendeu 15,7 milhões de pares embarcados por US$ 54,2 milhões em 2019, crescimento tanto em volume (20,2%) quanto em receita (14%).


 

 

 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados