odebrecht1Não Respeitou Os Direitos Trabalhistas

02/09/2015 — A Justiça do Trabalho condenou a construtora Odebrecht e duas subsidiárias a pagar R$ 50 milhões de indenização por danos morais coletivos por manter trabalhadores em condição análoga à escravidão e por promover o tráfico de pessoas para a construção de uma usina de açúcar em Angola. A sentença, proferida pela 2.ª Vara do Trabalho de Araraquara, atendeu a uma ação movida pelo Ministério Público do Trabalho. Essa é a maior condenação já feita no Brasil, envolvendo suposto trabalho escravo. A defesa da Odebrecht ainda pode recorrer ao Tribunal Regional do Trabalho. O juiz destacou que os brasileiros foram submetidos a um regime de trabalho “sem as garantias mínimas de higiene e saúde, respeito e alimentação”.

marcelo-odebrecht1O Príncipe dos Empreiteiros
28/07/2015 — O juiz federal Sérgio Moro aceitou a ação penal que o Ministério Público Federal ajuizou contra o empresário Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da Construtora Odebrecht, em razão da sua participação no escândalo do Petrolão. De acordo com a denúncia, ele seria a pessoa-chave do esquema. Orientava, inclusive, a ação das demais empresas envolvidas nos contratos irregulares que mantinham com a Petrobras. O empresário havia sido preso em junho, no âmbito da Operação Erga Omnis, da Polícia Federal, que alcançou também executivos da empreiteira Andrade Gutierrez. Pesam sobre ele irregularidades nos contratos da Refinaria Abreu de Lima, situada em Pernambuco, e do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro, entre outros.

lula-odebrecht1Marcelo Bahia Odebrecht nasceu no dia 18 de outubro de 1968, na cidade de Salvador, Bahia. Neto do pernambucano Norberto Odebrecht (fundador da construtora que leva o seu nome) e filho do Emílio Alves Odebrecht (fundador da Braskem). É descendente direto do imigrante alemão Emil Odebrecht, que chegou a Santa Catarina na segunda metade do século XIX. Responsável por negócios na construção pesada, petroquímica, açúcar, álcool, petróleo, gás, engenharia ambiental e empreendimentos imobiliários, vinha comandando uma era de ouro para o grupo familiar, que tem quinze divisões e presença em 21 países. Sucedeu a seu pai na empresa no fim de 2008, em meio à crise financeira global.

Sua entrada na Odebrecht, porém, ocorreu em 1992 quando concluiu o curso de engenharia na e trabalhou na construção de um prédio em Salvador, Bahia. Dois anos depois, trabalhou em uma hidrelétrica em Goiás e partiu para a Inglaterra, onde a companhia montava duas plataformas de petróleo. Na Europa, cursou mestrado no International Institute for Management Development (IMD) em Lausanne, Suíça. Depois, teve uma breve passagem pelos Estados Unidos e retornou ao Brasil para atuar na área petroquímica. Em 2002, assumiu o setor de engenharia e construção da empresa. Em dezembro de 2008, aos 40 anos, ele chegou ao topo do conglomerado.

Transformou o grupo no maior empregador do Brasil e num dos cinco maiores grupos privados do país. Sua ascensão coincidiu com o segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tinha o objetivo de transformar o país numa potência global através da promoção de empresas nacionais. Alguns dos maiores projetos da Odebrecht, como a construção de um porto em Cuba, foram financiados com empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Estima-se que tenha recebido cerca de R$ 5,8 bilhões em financiamentos do governo federal. O relacionamento dele e da sua empresa com o ex-presidente Lula da Silva é também motivo de investigações do Ministério Público Federal.

 


 

Empresas Brasileiras

UP TOGGLE DOWN


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados