Ambev: Cervejas & Refrigerantes
ambev produtos1

26/10/2017 — A Ambev, maior fabricante de cerveja e refrigerantes da América Latina, teve uma queda de 95% no seu lucro líquido no terceiro trimestre (julho a setembro), pressionada por uma despesa extra com pagamento de impostos. A companhia aderiu ao Refis, o programa de regularização de dívidas tributárias, em decorrência do qual pagará R$ 3,5 bilhões para quitar dívidas junto à Receita Federal. O valor foi parcelado em 145 vezes, mas impactou o resultado do terceiro trimestre. Neste período, a empresa lançou o valor de R$ 2,9 bilhões de despesas adicionais. Sem esse fator extraordinário, a companhia teria lucrado R$ 3,2 bilhões no mencionado período, resultado 1,2% maior que o registrado no mesmo período de 2016 (R$ 3,1 bilhões). A informação foi divulgada pela empresa como lucro líquido ajustado, que exclui eventos extraordinários.

A receita líquida da empresa teve crescimento de 9,6% em relação ao terceiro trimestre de 2016, ficando em R$ 11,4 bilhões. Segundo o relatório, esse resultado foi impulsionado pelo forte desempenho nas operações no Brasil (+ 9,7%), América Latina Sul (+ 21,3%) e América Central e Caribe (+ 7,5%). No balanço, a empresa destacou que o “pior ficou para trás” e que o Brasil, seu maior mercado, está de volta à sua trajetória. As operações da companhia no país registraram um aumento no Ebitda (indicador que mede a geração de caixa) de 17,4% no terceiro trimestre, indo para R$ 2,4 bilhões. O volume total de bebidas comercializado recuou 4%, caindo para 24,7 milhões de hectolitros. A receita total no país subiu 9,7%, indo para R$ 6 bilhões. A venda de cervejas, no país, caiu (5,4%), mas a receita no segmento subiu (9,6%). A queda no volume foi atribuída ao fraco resultado da indústria. As cervejas e os refrigerantes deram lucro líquido de R$ 2 bilhões à Ambev no acumulado de 2017.

do-bem1Sucos e Chás “do bem
25/04/2016 — A Ambev, dona, entre outras, das cervejas Skol, Brahma e Antarctica, anunciou a aquisição da fabricante da marca “do bem”. O valor da aquisição não foi revelado. Segundo a nota distribuída para a imprensa, “a ´do bem´ chega para expandir e fortalecer a atuação da divisão de não alcoólicos da companhia”. O comunicado ainda diz que a transação não é meramente financeira e material para o grupo. Oportunamente, serão dados maiores detalhes do negócio, tendo em vista que a transação ainda deverá ser ratificada (ou não) pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Governo Federal. Criada em 2007, no Rio de Janeiro, a “do bem” tem operações na França, Espanha e Portugal. A companhia produz sucos e chás embalados e barras de cereais.

Unidade de Uberlândia
06/02/2016 — A Ambev — a maior empresa cervejeira da América Latina — inaugurou uma fábrica na cidade de Uberlândia (Minas Gerais). A nova planta fabril recebeu R$ 770 milhões de investimentos e já está empregando diretamente 480 trabalhadores. A nova unidade tem capacidade para produzir seis milhões de hectolitros de cerveja por ano. Vai atender os mercados das Minas Gerais, do Distrito Federal, do Goiás, do Mato Grosso e de São Paulo. Criada em 1999, a partir da união da Cervejaria Brahma e da Companhia Antarctica, a Ambev está em operação em 17 países das Américas. No Brasil são 34 mil empregados atuando em 32 fábricas e duas maltarias. Faz parte da Anheuser-Busch InBev, com sede na Bélgica. É uma da cinco maiores companhias de bens de consumo do mundo.

jorge-paulo-lemann15aCOMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS — Foi fundada no dia 1.º de julho de 1999 pelos empreendedores brasileiros Carlos Alberto Sicupira, Jorge Paulo Lemann e Marcel Hermann Telles, na cidade de São Paulo. Tornou-se em pouco tempo a maior empresa da América Latina. Em decorrência de várias aquisições feitas pelo mundo afora, passou a ser dona de marcas famosas de cerveja como a Budweiser, a Kronenbier, a Muller e a Stella Artois. No Brasil, suas marcas mais famosas são a Skol, a Antarctica, a Brahma, a Bohemia e a Caracu. Segundo os últimos relatórios financeiros, teve um faturamento bruto de mais de R$ 40 bilhões em 2014, com lucro líquido de cerca de R$ 12,5 bilhões. Em 2015, seu valor de mercado atingiu 684,5 bilhões de dólares. Emprega mais de 50 miltrabalhadores.

A Mais Valiosa
10/04/2015 — A empresa mais valiosa do Brasil é a Ambev, que produz, entre outras, as cervejas Skol, Brahma e Antarctica. Segundo os números divulgados pela Bolsa de Valores de São Paulo, a companhia vale no mercado R$ 304 bilhões. Esse valor daria para comprar, por exemplo, o Bradesco, que vale R$ 156 bilhões, e a Petrobrás, cujo valor está em R$ 148 bilhões. Mais impressionante ainda: o valor da cervejaria daria para comprar doze empresas estatais colocadas na lista da Bovespa, entre as quais a própria Petrobras, o Banco do Brasil e a Sabesp. De acordo com os analistas do mercado, enquanto a Ambev continuou crescendo, as estatais perderam muito valor em decorrência principalmente das lambanças do governo federal. As ações do grupo na Bovespa tiveram valorização média de 25,7% ao ano.


Empresas Brasileiras

UP TOGGLE DOWN


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados