20180812Lucro Magazine Trimestre

07/08/2018 — A varejista Magazine Luiza quase dobrou o lucro líquido do segundo trimestre de 2018, chegando a R$ 140,7 milhões, após registrar a maior expansão trimestral de vendas em cinco ano. Entre abril e junho, a companhia vendeu, considerando todos os canais físico e online, o total de R$ 4,6 bilhões, alta de 43,3% ano a ano.

Esse desempenho apoiou-se, principalmente, na aceleração do crescimento do comércio eletrônico, na base de 66,1%, frente aos 60,8% verificados no segundo trimestre de 2017. As vendas nas lojas físicas cresceram 27%. O crescimento no mesmo período do ano passado foi de 14%. A participação do comércio eletrônico no total vendido passou, no período, de 28,5% para 33%. No final de julho, a rival Via Varejo divulgou crescimento de vendas de 5,8% nas suas lojas físicas.

Magazine & Bovespa
01/07/2018 — As ações do Magazine Luíza fecharam o mês de junho em alta. No dia econômico do mês (29), a valorização dos papéis alcançou 3,5%, segundo dados oficiais publicados pela Bolsa de Valores de São Paulo. Cada ação da companhia virou o mês seis valendo R$ 127,99. A valorização no mês foi de 18,5%, enquanto a valorização anual somou 59,99%. A empresa tem 67,6 milhões de ações ordinárias em circulação. O valor de mercado, com a última cotação, chegou a R$ 8,6 bilhões. A maior acionista do Magazine Luíza é a empresa Ltd. Administração & Participações, a holding do grupo, com 57,5% das ações em circulação. Outros 35,5% são formados por investidores avulsos. O lucro líquido do primeiro trimestre do ano foi de R$ 147,5 milhões.

Dividendos 2018
14/04/2018 — O Magazine Luiza realizou assembleias geral e ordinária, em Franca, para aprovar a distribuição de R$ 125 milhões referentes ao resultado de 2017. O total corresponde a 33,82% do lucro, percentual superior ao dividendo mínimo obrigatório de 15% previsto no estatuto social. Na data, dividendos adicionais no valor de R$ 50 milhões foram submetidos à votação, em complemento aos R$ 75 milhões na forma de juros sobre o capital próprio já anunciados em 13 de dezembro de 2017. A companhia realizou lucro líquido de R$ 389,02 milhões em 2017. Além dos R$ 125 milhões para os acionistas, a empresa alocou R$ 19,45 milhões na reserva legal, R$ 68,3 milhões na reserva de incentivos fiscais e R$ 176,3 milhões na reserva de reforço de capital de giro. As decisões foram informadas à Comissão de Valores Mobiliários.

“Só Amanhã! ”
23/12/2017 — O Magazine Luiza foi impedido pela Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região de registrar a expressão “Só Amanhã”, presente em seus comerciais, como sendo uma marca nominativa da empresa. No voto, o relator do processo destaca que “resta evidente que a expressão busca incitar o público ao consumo, num determinado período, de modo a enquadrar-se na definição de expressão ou sinal de propaganda e não de marca”.O Magazine Luiza  pretendia anular atos administrativos que declararam nulos os registros do slogan no Instituto Nacional de Propriedade Industrial. A turma do TRF3 decidiu, por unanimidade, que a expressão possui caráter “genérico”, “comum” e “vulgar”. Por isso, não pode ser registrada como marca.

Horas Extras = Multa
05/09/2017 — O Ministério Público do Trabalho entrou com uma ação de execução de multa por descumprimento de sentença contra o Magazine Luíza, no valor de R$ 5 milhões. De acordo com o processo, a empresa continua mantendo os seus funcionários em excesso de horas extras, mesmo após ter sido condenada definitivamente pela Justiça do Trabalho por causa da jornada irregular. O MTB aponta que a companhia, ao mesmo tempo que se autodeclara uma das melhores para se trabalhar, impõe jornadas de até 14 horas diárias aos seus funcionários. O processo trabalhista original que condenou a empresa refere-se à loja do grupo na cidade de Itapetininga, São Paulo. Embora tenha pagado, no processo, R$ 138,8 mil por danos morais coletivos, o Magazine Luíza descumpriu a determinação referente ao ajuste da jornada de trabalho.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados