luiz carlos trabuco1Mega-Lucro

31/10/2017 — O Bradesco anunciou ter registrado lucro líquido de R$ 2,9 bilhões no terceiro trimestre de 2017. O resultado representa uma queda de 26,3% em relação aos três meses anteriores. Na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, o recuo foi de 10,9%. Em termos ajustados, o lucro do segundo maior banco privado do país foi de R$ 4,8 bilhões, um avanço de 2,3% na comparação trimestral e de 7,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A carteira de crédito expandida segue em queda, refletindo a lenta recuperação da economia brasileira.

Em setembro, o volume atingiu R$ 486,9 bilhões. Trata-se de uma queda de 6,7% em relação ao saldo de setembro de 2016. As operações com pessoas físicas somaram R$ 172,2 bilhões, uma alta de 0,7% em relação ao mesmo mês de 2016, enquanto as operações com pessoas jurídicas atingiram R$ 314,7 bilhões, uma queda de 10,3%. O índice de inadimplência superior a noventa dias diminuiu 4,8% frente a setembro do ano passado. Já em comparação a junho, quando foi divulgado o último balanço, a queda foi menor, de 0,2%. Com da queda da inadimplência, recuou também a despesa de provisão para devedores duvidosos. o dinheiro que o banco separa para cobrir eventuais calotes. No terceiro trimestre, essa quantia chegou a R$ 3,8 bilhões: uma redução de 23,1% em relação ao segundo trimestre de 2017.

Segundo Trimestre
27/07/2017 — O Bradesco registrou lucro líquido de R$ 3,9 bilhões no segundo trimestre, queda de 5,4% em relação ao mesmo período do ano passado e de 3,9% ante o trimestre anterior. O lucro ajustado foi de R$ 4,7 bilhões, aumento de 13% em relação ao mesmo trimestre de 2016 e de 1,2% frente ao último trimestre. O resultado foi favorecido pelo controle nas despesas administrativas e nas provisões para perdas com inadimplência. A carteira de crédito expandido somava R$ 493,6 bilhões no fim de junho, queda de 1,8% em três meses e alta de 10,3% em 12 meses. O retorno sobre patrimônio líquido médio foi de 18,2% no segundo trimestre. O banco apontou ainda que o total de ativos no trimestre somou R$ 1,3 trilhão, o mesmo resultado do primeiro trimestre e R$ 1,1 trilhões no mesmo intervalo de 2016.

Empresas Brasileiras

UP TOGGLE DOWN


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados