Grendene

02/09/2020 — A calçadista Grendene obteve lucro bruto de R$ 23,6 milhões no segundo trimestre de 2020, queda de 84,8% em relação ao mesmo período de 2019. De acordo com o relatório financeiro enviado à Bolsa de Valores de São Paulo, apurou-se prejuízo líquido de R$ 44,4 milhões no período. A receita líquida entre abril e junho somou R$ 56 milhões, recuo de 85% em relação ao ano passado. O Ebitda, sistema que mede o resultado operacional, registrou prejuízo de R$ 63 milhões, ante o lucro de R$ 26,7 milhões em 2019. A Grendene tem oito fábricas no Ceará, nas cidades de Sobral, Fortaleza e Crato, uma na cidade de Farroupilha (RS) e outra na cidade de Teixeira de Freitas (BA). É dona, entre outras, das marcas de sandálias Ipanema, Melissa e Grendha.

anitta ipanema11.º trimestre
14/06/2020 — A calçadista Grendene registrou lucro líquido de R$ 29,7 milhões no primeiro trimestre de 2020. Houve queda de 61,1% na comparação com o mesmo período de 2019. Por sua vez, o lucro bruto totalizou R$ 153,3 milhões, queda de 12,1% na mesma base de comparação. A receita líquida da companhia contabilizou R$ 372,2 milhões, baixa de 12,1%. O lucro ajustado, descontados os pagamentos de juros e dos impostos, a depreciação do patrimônio e a amortização de dívidas (Ebitda), teve queda de 21%. Ficou em R$ 60,8 milhões. O desempenho negativo reflete os problemas que a empresa teve com o fechamento das suas unidades fabris em decorrência da pandemia do coronavírus. A Grendene é dona, entre outras, da marca de sandálias Ipanema e do tênis Rider.

Em 2019
14/03/2020 — A calçadista Grendene reportou lucro líquido de R$ 210,1 milhões no quarto trimestre de 2019, queda de 16,4% na comparação com o mesmo intervalo de 2018. A receita bruta da companhia caiu 10,1%, para R$ 795 milhões, resultado da queda de 11,9% no volume de calçados vendidos: 49 milhões de pares. A companhia teve as vendas reduzidas tanto no Brasil quanto no exterior. No mercado interno, as vendas  caíram 8,2% (38,1 milhões de pares). A receita bruta, assim, caiu 6,5% (R$ 603,8 milhões). Nas exportações, as vendas caíram 22,6% para (10,9 milhões de pares) e a receita bruta despencou 19,7% (R$ 191,2 milhões). O lucro líquido registrado no ano fiscal de 2019 marcou R$ 495 milhões. A Grendene é dona das sandálias Melissa, Ipanema e Grendha.

alexandre-grendene15a

GRENDENE — Foi fundada no dia 25 de fevereiro de 1971, na cidade de Farroupilha, Rio Grande do Sul. É uma empresa de capital aberto, cujo maior acionista é o empresário Alexandre Grendene Bartelle. Sua primeira linha de produtos foi a confecção de embalagens plásticas para garrafões de vinho. Depois, passou a utilizar a poliamida (nylon) como matéria-prima para a fabricação de solados e saltos para calçados. Em 1979, lançou a coleção de sandálias plásticas com a marca “Melissa”, no estilo aranha, inspirada nos calçados utilizados por pescadores franceses. Em 1986, ocorreu o lançamento das sandálias “Rider”, direcionado para o público masculino. Em 1993, a sede fabril foi instalada na cidade de Sobral, Ceará. De acordo com os dados disponíveis na Bovespa, tem mais de vinte mil funcionários. Em 2017 teve lucro líquido de R$ 660,9 milhões.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados