christopher-marlowe in1Christopher Marlowe
linha-gif

Nasceu no dia 6 de fevereiro de 1564, na localidade de Canterbury, Inglaterra. Morre no dia 28 de fevereiro de 1593, na localidade de Deptford Strand.

Estudou na King´s School, de sua cidade natal. Em 1581, foi para o Colégio de Corpus Christi, em Cambridge, onde se tornou bacharel e mestre em Artes (1584 e 1587, respectivamente). A seguir, fixou-se em Londres, escrevendo para o teatro. Embora se afirme que antes de ser autor foi ator, o único dado seguro sobre sua vida na capital inglesa é que viveu na zona boêmia e teatral de Shoreditch, à margem esquerda do Rio Tâmisa, escrevendo e convivendo com gente de teatro até 1592, quando um surto de peste o levou a se refugiar em Scadbury, no Condado de Kent. Considerado ateu e homossexual, seu temperamento violento o levou a se bater em duelo várias vezes.

Foi assassinado numa hospedaria em Deptford Strand, subúrbio de Londres. Apesar de muitas suposições, nunca foram esclarecidos os motivos reais de sua morte. É provável que as razões tenham sido políticas, uma vez que, segundo alguns informes, ele seria agente secreto da rainha Elizabeth I desde os tempos de estudante. Seu nome foi ligado ao de sir Walter Raleigh, amante da rainha, que caíra em desgraça pouco antes de sua morte. O fato é que seu assassino — Ingran Frizer — foi posteriormente perdoado pelo crime.

christopher-marlowe des1Dele, restaram algumas obras importantes, como A Tragédia de Dido, Rainha de Cartago, de cronologia incerta, que escreveu em colaboração com Thomas Nashe, publicada em 1594; Tamburlaine, o Grande, de 1586/87; A Trágica História do Dr. Fausto, publicada em 1604, que teria servido de modelo ao Fausto, do alemão Johann von Goethe; O Judeu de Malta, que escreveu entre 1589 e 1590; Massacre Em Paris, publicada em 1593; e Eduardo II, a primeira grande tragédia histórica da dramaturgia inglesa.

Nesta obra, ele colocou o ator como o centro dominante da peça e fez com que a personalidade do personagem sobressaísse mais do que a própria ação. Usou o verso branco (verso que não rima) de cinco pés, que seria amplamente divulgado nos espetáculos dramáticos que se seguiram nos palcos ingleses e, nos séculos XVIII e XIX, também na dramaturgia alemã, através principalmente de Goethe e de Friedrich Schiller. Escreveu, ainda, o poema Hero e Leandro, além de traduzir Amores, do romano Públio Ovídio Naso, e Farsala, do também romano Marco Aneu Lucano. Depois, escreveu uma novela, cujos originais se perderam: As Férias da Donzela.


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados