Imprimir
Categoria: Escritores Britânicos
Acessos: 2324

agatha christie1Agatha Christie

AGATHA MARY CLARISSA CHRISTIE nasceu no dia 15 de setembro de 1870 na cidade de Torquay, Condado de Devon, Inglaterra. Morreu no dia 12 de janeiro de 1976, na cidade de Wallingford, Condado de Oxford. Em 1896, mudou-se com a família para a França. Antes de enveredar pela literatura, foi enfermeira durante a Primeira Guerra Mundial. O primeiro romance — “O Misterioso Caso de Styles” — saiu em 1916. Escreveu sucessivamente mais cinco livros, mas o sucesso veio somente em 1926, com a publicação do “O Assassinato de Roger do Roger Ackroyd”. O livro criou polêmica nos meios literários, pois a autora contrariou as regras estabelecidas para os romances policiais.

Durante a a carreira, publicou mais de oitenta livros, alguns sobre o pseudônimo de Mary Westmacott. Segundo o Livro dos Recordes, é a romancista mais bem sucedida da história da literatura popular mundial em número total de livros vendidos. As obras dela juntas venderam cerca de quatro bilhões de cópias ao longo dos séculos 20 e 21. Esses números só ficam atrás das obras do dramaturgo William Shakespeare e da Bíblia. Para a organização Index Translationum, as obras da britânica foram traduzidas para mais de 100 idiomas em todo o mundo. O livro mais vendido é “O Caso dos Dez Negrinhos”, com cerca de 100 milhões de cópias comercializadas. Em 1971, a Agatha foi condecorada pela rainha Elizabeth II com o título de “Dama do Império Britânico”, honra que consiste no equivalente feminino ao “sir” (cavaleiro).

os-elefantes-nao-esquecem1Poirot
13/06/2015 — A L&PM Editores está lançando dois romances imperdíveis da autora britânica Agatha Christie, a “rainha” das tramas policiais. Em “Os Elefantes Não Esquecem”, o famoso detetive Hercule Poirot é chamado para solucionar o caso de uma jovem desaparecida há algum tempo. O romance foi um dos últimos publicados pela autora. Segundo a crítica, tem nas entrelinhas revelações autobiográficas. Em “Cai o Piano”, o detetive, já velho, está hospedado numa mansão junto com o amigo capitão Hastings. A sagacidade dele, porém, indica que entre os outros hóspedes há um assassino. Foi a última investigação do mais famoso dos personagens de romances policiais de todos os tempos.

o-caso-dos-dez-negrinhos1Negrinhos
03/09/2015 — O “O Caso dos Dez Negrinhos” é o melhor livro da escritora Agatha Christie. Pelo menos é o que acham 21% dos internautas ingleses que participaram de uma enquete feita pelos parentes da autora para saber a preferência dos seus compatriotas sobre as obras dela. A obra deixou para trás clássicos como o “Assassinato No Expresso Oriente” e o “O Assassinato de Roger Ackroyd”, reverenciados pela crítica como os textos de melhor qualidade da britânica. O primeiro recebeu 16% da adesão dos fãs, enquanto o segundo somou 8% dos votos. A ação dos herdeiros faz parte dos festejos relacionados aos 125 anos do nascimento da autora.

Em “O Caso dos Dez Negrinhos”, lançado no Brasil pela Editora Globo, um estranho personagem faz um convite mais estranho ainda a dez pessoas para que elas passem um final de semana numa mansão situada numa ilha quase inacessível. Quando os convidados chegam, são logo apresentados por uma gravação que aponta no passado de cada um o cometimento de um assassinato. Entre eles estão um juiz aposentado, um policial, uma babá, um médico, um playboy, uma senhora de alta classe, um aventureiro, um mordomo e uma arrumadeira. Cada um, ao seu tempo, contribuiu para a morte de uma pessoa que lhe era próxima. A partir da revelação começam os assassinatos. Os convidados vão um a um sendo mortos, instalando-se entre os restantes uma relação de medo e desconfiança. Suspense total. O livro foi adaptado para o cinema.