a-insustentavel-leveza-do-ser17A Leveza Do Milan Kundera

29/04/2017 — A Editora Companhia das Letras está relançando a obra “A Insustentável Leveza do Ser”, escrita pelo tcheco Milan Kundera. Foi um estrondoso sucesso editorial, que chegou ao Brasil em 1983. Na história, o autor entrelaça ficção e filosofia. Infidelidade, amor, compaixão, eterno retorno, acaso e arbítrio são alguns dos grandes temas que são articulados num romance de ideias e paixões. O resultado é uma obra em tudo original, um clássico da literatura contemporânea. A história se passa nas cidades de Praga e em Zurique, em 1968, e atravessa algumas décadas. Narra os amores e os desamores de quatro pessoas. É permeada pela invasão russa à Tchecoslováquia e pelo clima de tensão política que pairava na capital tcheca naqueles dias. A nova edição tem a tradução da Tereza Bulhões Fonseca.

risiveis-amores1Risíveis Amores
01/08/2014 — Chegou às livrarias de todo o Brasil em agosto o novo livro do escritor Milan Kundera, o premiado autor de A Insustentável Leveza do Ser. No romance Risíveis Amores, o protagonista vagueia pela cidade de Paris num dia de verão, se depara com a última moda (calça de cintura baixa e barriga à mostra) e reflete sobre como a sociedade contemporânea colocou o umbigo no centro do erotismo. O livro alterna as reflexões do protagonista e de seus amigos, os quais levam uma vida esvaziada na capital francesa. Seus encontros e memórias remontam ora ao stalinismo ora à contemporaneidade, sempre remetendo à insignificância da existência humana. A última obra publicada do autor tcheco — A Ignorância— foi em 2000.

milan-kundera in1Milan Kundera
Nasceu no dia 1.º de abril de 1929 na localidade de Brno, então Tchecoslováquia
É filho de uma erudita família de classe-média. Aprendeu a tocar piano com seu pai. Posteriormente, também estudou musicologia. Influências e referências musicológicas podem ser encontradas através de sua obra, a ponto de se poder encontrar notas em pauta durante o texto. O autor completou a escola secundária em sua cidade natal, em 1948. Estudou literatura e estética, mas, depois de dois períodos, transferiu-se para o curso de cinema da Academia de Artes Performáticas de Praga, onde realizou suas primeiras leituras em produção de scrpits e direção cinematográfica.

Em 1950, foi temporariamente forçado a interromper seus estudos por razões políticas. Neste ano, ele e outro escritor tcheco — Jan Trefulka — foram expulsos do Partido Comunista Tcheco por “atividades antipartidárias”. Usou o incidente como inspiração para o tema principal de seu romance A Brincadeira, de 1967. Em 1956, porém, foi readmitido no partido, sendo expulso novamente em 1970. Assim como outros artistas tchecos como Václav Havel, envolveu-se na Primavera de Praga de 1968. O período de otimismo foi destruído no agosto do mesmo ano pela invasão do seu país pelos soviéticos. Tentou acalmar a população e organizar um levante reformista frente ao totalitarismo comunista da União Soviética, mas desistiu em 1975.

a-insustentavel-leveza c1Desde então vive na França, onde se naturalizou em 1980. Seus romances geralmente tratam de escolhas e decepções. Em seus livros é recorrente a crítica ao regime comunista e à posterior ocupação russa de seu país, em 1968, quando foi exilado e teve sua obra proibida na então Tchecoslováquia. Entre outros prémios, recebeu, pelo conjunto da sua obra, o Common Wealth Award de Literatura (1981) e o Prémio Jerusalém (1985). Sua obra principal — A Insustentável Leveza do Ser — ganhou em 1988 uma adaptação para o cinema, sob a direção de Philip Kaufman, com Daniel Day-Lewis, Juliette Binoche e Lena Olin no elenco. O filme recebeu duas indicações para o Oscar e o reconhecimento mundial. Mas desde então nunca mais autorizou a adaptação cinematográfica dos seus romances.

Em 2002, a Cia. Das Letras lançou no Brasil o livro A Ignorância, que conta a história de Irena. Ela se exilou em Paris quando seu país mergulhou no comunismo. Decidiu voltar vinte anos depois com a queda da Cortina de Ferro. Em 2006, a mesma editora chegou com A Cortina. O livro é uma reflexão sobre o ofício de escrever. De autores clássicos como Carlos Fuentes e Gabriel Garcia Marques, o autor examina a arte do romance e o que ela ensina ao leitor sobre o mundo. Ele também analisa como a obra de autores como Franz Kafka retratou a opressão da burocracia. Em 2008, a organização tcheca Estudo de Regimes Totalitários denunciou que o autor, antes da fama, era um colaborador da polícia comunista. Teria sido o responsável pela captura do dissidente Miroslav Dvoracek, que, por isso, passou 14 nas prisões comunistas, fazendo trabalho forçado em minas de urânio. O escritor negou.


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados