vicente-blasco-ibanez1Vicente Blasco Ibáñez

Nasceu no dia 29 de janeiro de 1867, na cidade de Valência, Espanha. Morreu no dia 28 de janeiro de 1928, na cidade de Menton, França.

Era filho de um comerciante de origem aragonesa. Passou por privações até 1885, quando iniciou a carreira jornalística. Ligou-se aos movimentos antimonarquistas e, por isso, foi obrigado a fugir para a França. Em 1891, anistiado, voltou ao seu país, fixando-se em Madri. Nesta cidade, fundou o jornal “O Povo”, o qual durou dez anos. Em 1892, foi eleito deputado, começando, assim, a sua vida política formal. No cargo, bateu-se pela extinção da monarquia e a criação da república. Em 1899, publicou um livro de novelas — “Contos Valencianos” —, nos quais descreve usos e costumes da sua cidade natal.

Continuou, em seguida, a escrever romances regionais. Em 1898, por sua posição violentamente contrária à entrada da Espanha na guerra, foi preso. Em 1902, já libertado, passou a escrever romances sociais, com destaque para “A Catedral” (1903) e “Sangue e Areia” (1908). Em 1909, abandonou de vez a política e se estabeleceu por uns tempos na América do Sul. Voltou para a Europa no início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), apoiando a França e os seus aliados. Em 1923, opôs-se à ditadura do general Primo de Rivera, sendo obrigado a deixar o país. Foi viver na França, onde escreveu os seus últimos romances. Em 1941, o cineasta Rouben Mamoulian adaptou para o cinema o romance “Sangue e Areia”, com Tyrone Power e Linda Darnell nos papéis centrais.

sangue-e-areia1941bPrincipais Obras
1894 — Arroz e Tarana
1895 — Flor de Maio
1898 — Terras Malditas
1899 — Contos Valencianos
1903 — A Catedral
1908 — Sangue e Areia
1916 — Os Cavaleiros do Apocalipse
1918 — Mare Nostrum
1919 — Os Inimigos da Mulher
1925 — O Mestre do Mar
1927 — Volta do Mundo de Um Novelista


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados