banner-topo

Marguerite Duras, a autora do “O Amante” e do “Hiroshima, Meu Amor”

marguerite-duras ft1Marguerite Duras

Marguerite Donnadieu nasceu no dia 4 de abril de 1914, na cidade de Saigon (atual Cidade de Ho Chi Min), então Indochina Francesa (atual Vietnã). Morreu no dia 3 de março de 1996, na cidade de Paris, França. Sua família retornou para a França na década de 1930. Graduou-se em direito na capital francesa. Iniciou a carreira literária escrevendo peças treatrais, novelas e narrativas curtas. Seu trabalho foi associado ao movimento chamado “novo romance”. A primeira obra de relevância — “Les Impudents” — foi publicada em 1943. Também se enveredou pelo cinema, escrevendo o roteiro do filme “Hiroshima, Meu Amor”, de 1959. Chegou, inclusive, a dirigir filmes próprios. Sua produção literária, porém, é mais extensa. Abrange 48 livros, publicados entre 1943 e 1995.

Principais Obras
1944 — A Vida Tranquila (“La Vie Tranquille”)
1950 — Uma Barragem Contra o Pacífico (“Un Barrage Contre Le Pacifique”)
1952 — O Marinheiro de Gibraltar (“Le Marin de Gibraltar”)
1953 — Os Cavalinhos de Tarquínia (“Les Petits Chevaux de Tarquinia”)
1959 — A Praça (“Le Square”)
1960 — Hiroshima, Meu Amor (“Hiroshima, Mon Amour”)
1965 — O Vice-Cônsul (“Le Vice-Consul”)
1967 — A Amante Inglesa (“L´Amante Anglaise”)
1971 — O Amor (“L´Amour”)
1980 — O Homen Sentado No Corredor (“L'Homme Assis Dans Le Couloir”)
1981 — Agatha (“Agatha”)
1982 — O Homem Atlântico (“L'Homme Atlantique”)
1982 — A Doença da Morte (“La Maladie De La Mort”)
1984 — O Amante (“L'Amant”)
1985 — A Dor (“La Douleur”)
1986 — Olhos Azuis, Cabelos Negros (“Les Yeux Bleus Cheveux Noirs”)
1991 — O Amante da China do Norte (“L'Amant de la Chine du Nord”)

a-dor duras1A Dor
01/04/1986 — Saiu pela Editora Nova Fronteira a obra “A Dor”, da francesa Marguerite Duras. Confirmando a classe do “O Amante”, da mesma autora, lançado em 1985, esse livro prende por tudo: do bom texto ao enredo, que, com toda a razão, o editor resume como “uma história de desespero e paixão”. Essa paixão tem como fundo o cotidiano da resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, na qual desfilaram François Mitterrand, cujo codinome era “Morland” (Playboy — Abril de 1986).



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados