banner-topo

Pietro Aretino, poeta italiano, o “flagelo dos príncipes”

aretino1Pietro Aretino

Nasceu no dia 20 de abril de 1492, na cidade de Arezzo, Toscana, Itália. Morreu no dia 21 de outubro de 1556, na cidade de Veneza.

Era filho de um sapateiro com uma prostituta. Ainda rapaz, foi expulso de sua cidade natal por escrever um poema contra a política das indulgências da Igreja Católica. Retirou-se para Perúsia, na região da Úmbria, onde trabalhou como encadernador. Depois, foi para Roma, colocando-se a serviço do papa Leão X, permanecendo com o sucessor deste, Clemente VII. Escreveu, em 1524, dezesseis sonetos luxuriosos, compostos para os desenhos eróticos do seu amigo Giulio Romano.

O escândalo provocado pelos versos o obrigou a deixar Roma e pedir asilo em Veneza. Adquiriu, então, enorme popularidade com suas poesias satíricas e seus livros obscenos. Implacável em suas sátiras, era adulador quando lhe convinha. Era também muito vaidoso: presenteava os outros com retratos seus e mandava gravar medalhas em sua honra. Escreveu também peças de teatro, biografias de santos, diálogos e paródias. Viveu num estado de liberdade jamais conferido a outro homem da sua época. De forma ousada e pouco convencional para os padrões literários desse período, atacou nobres e clérigos. Ficou conhecido na história pela alcunha “Flagelo dos Príncipes”. Segundo os historiadores, morreu “podre” de rico.


 Filho ilustre de Arezzo
Francesco Petrarca


 


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados