banner-topo

Ignácio de Loyola Brandão leva o Prêmio Machado de Assis de 2016: R$ 300 mil

ignacio-loyola-brandao1Prêmio Machado de Assis

07/07/2016 — O escritor paulista Ignácio de Loyola Brandão, 79 anos, venceu o Prêmio Machado de Assis de 2016, o único prêmio outorgado pela Academia Brasileira de Letras. O resultado foi divulgado, mas o prêmio (R$ 300 mil e um certificado) só será entregue no dia 20 de julho, mesmo dia em que a entidade comemora 119 anos de fundação. Pelo conjunto da obra, o vencedor foi escolhido em votação secreta pelos 40 acadêmicos da instituição. Loyola começou a carreira literária em 1965 com o lançamento do livro de contos “Depois do Sol”. Teve obras traduzidas para várias línguas, entre elas o húngaro, o alemão e o coreano. Em 2008, venceu o Prêmio Jabuti de melhor livro de ficção do ano com o romance “O Menino que Vendia Palavras”.

ignacioloyola cariIgnácio de Loyola Brandão nasceu no dia 31 de julho de 1936, na cidade de Araraquara, São Paulo. Iniciou seus estudos na escola primária de Dona Cristina Machado em 1944, onde cursou o primeiro ano. No ano seguinte transferiu-se para a escola da professora Dona Lourdes de Carvalho.  Seu pai, que chegou a publicar histórias em jornais locais e que conseguiu formar uma biblioteca com mais de 500 volumes, o incentivou a ler desde que foi alfabetizado.  Fascinado por dicionários, chegou a trocar com seus colegas de classe palavras por bolinhas de gude e figurinhas. Mais tarde, esse fato acabou se transformando no conto O Menino Que Vendia Palavras. Escreveu romances, contos e biografias. No total, são mais de trinta livros entre 1965 e 2010.

Principais Obras
1968 — Bebel Que a Cidade Comeu
1975 — Zero
1976 — Dentes do Sol
1981 — Não Verás País Nenhum
1985 — O Beijo Não Vem da Boca
1987 — O Ganhador
1988 — A Rua de Nomes No Ar
1989 — Manifesto Verde
1995 — O Anjo do Adeus
1995 — Strip-Tease de Gilda
1997 — Veia Bailarina
1998 — Sonhando Com o Demônio
2003 — Calcinhas Secretas
2006 — A Altura e a Largura do Nada
2008 — O Menino Que Vendia Palavras
2010 — A Morena da Estação


 


© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados