banner-topo

Ana Cláudia Lemos, expoente do atletismo brasileiro, denunciada por doping

ana-claudia-lemos in1Ana Cláudia Lemos

10/03/2016 — O atletismo brasileiro pode perder um de seus principais nomes para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A velocista Ana Cláudia Lemos foi notificada por um problema num exame antidoping feito pela Autoridade Brasília de Controle de Dopagem. A entidade não informou qual substância proibida foi encontrada na análise. A Confederação Brasileira de Atletismo divulgou um comunicado oficial dizendo que ainda cabe a confirmação efetiva do caso para tomar as devidas providências. Em caso de um resultado confirmado como positivo pela ABCD, a CBAt iniciará os procedimentos disciplinares, com o encaminhamento do caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva para julgamento. Embora tenha pedido a contraprova, Ana Cláudia foi suspensa preventivamente.

ana-claudia-lemos in2ANA CLÁUDIA LEMOS DA SILVA nasceu no dia 6 de novembro de 1988, na cidade de Jaguaretama, Ceará. Competindo na modalidade de revezamento 4x100 metros, esteve presente nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, como reserva, e participou do Campeonato Mundial de Atletismo de 2009. Ela é a atual recordista brasileira e sul-americana dos 100 metros rasos com 11s15, marca obtida em São Paulo, no dia 4 de setembro de 2010, assim como nos 200 metros rasos com 22s48, marca obtida no Troféu Brasil em São Paulo, no dia 6 de agosto de 2011. Foi também semifinalista, tanto nos 100 quanto nos 200 metros, do Campeonato Mundial de Atletismo de 2010.

Integrou a delegação que disputou os Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México, onde conquistou duas medalhas de ouro nos 200 metros e no revezamento 4x100 metros. Em Londres 2012, participou da prova dos 200 metros, sendo eliminada na primeira fase. Depois, esteve no time brasileiro do revezamento 4 x 100 metros rasos feminino, composto formando a equipe com Franciela Krasucki, Evelyn dos Santos e Rosângela Santos. Elas quebraram o recorde sul-americano nas eliminatórias da prova, com o tempo de 42s55, se classificando para a final em sexto lugar. Elas voltariam a quebrar o recorde em 2013, no mundial de Moscou (Rússia), com a marca de 42s29. Nos Jogos Panamericanos de 2015, ela correu, pela primeira vez, os 100 metros rasos abaixo dos 11 segundos, marcando 10s96, mas os ventos a favor acima do permitido impediram a homologação da marca.



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados