a-bela-e-a-era 46aA Bela e a Fera

LA BELLE ET LA BÊTE foi lançado oficialmente no dia 29 de outubro de 1946 na França. Antes, tinha sido apresentado em première no Festival de Cinema de Cannes. Aos Estados Unidos chegou no dia 23 de dezembro de 1947. Modernamente, foi reapresentado no Festival de Cinema de Atenas (Grécia) no dia 17 de setembro de 2003.

Na trama, uma jovem donzela se entrega a um nobre de aparência animalesca para salvar o pai da ruína. É uma adaptação clássica do conto de fadas romântico, que fala da atração entre opostos e da descoberta que a Bela faz do bom coração escondido sob a imagem selvagem da Fera. O diretor instaura a história num castelo mágico. A Bela não se limita a andar pelos corredores. Ela desliza por eles. As velas não são sustentadas por candelabros tradicionais, mas agarradas por braços afixados nas paredes. Espelhos são transformados em portais líquidos, chamas queimam e se extinguem por vontade própria e estátuas ganham vida.

O castelo serve tanto como metáfora para a personificação do processo criativo quanto como desculpa para várias imagens freudianas. Uma vez que a Bela não pode consumar seu relacionamento com a Fera antes de ele se transformar, o diretor a faz acariciar facas e descer longos corredores para revelar seus desejos subconscientes. Segundo a crítica, a maior façanha do diretor foi transformar a Fera monstruosa ao mesmo tempo convincente e cativante. Com o protagonista enterrado numa maquiagem complexa, a bondade da Fera precisa ser transmitida através de atos e gestos, revelando assim a humanidade que jaz literal e figurativamente sob a pelagem e presas.

Elenco Principal
Jean Marais (Fera/Príncipe)
Josette Day (Bela)
Mila Parély (Félicie)
Nane Germon (Adélaïde)
Michel Auclair (Ludovic)
Raoul Marco (Usurário)
Marcel André (Pai da Bela)

Ficha Técnica
ORIGEM: França
GÊNERO: Fantasia/Romance
DURAÇÃO: 96 minutos
DIREÇÃO: Jean Cocteau
ROTEIRO: Jean Cocteau
ROMANCE: Jeanne-Marie L. Beaumont
PRODUÇÃO: André Paulvé
MÚSICA: Georges Auric
FOTOGRAFIA: Henri Alekan
MONTAGEM: Claude Ibéria
DIREÇÃO DE ARTE: Christian Bérard
DECORAÇÃO DE SET: Lucien Carré
FIGURINOS: Antonio Castillo
MAQUIAGEM: Hagop Arakelian
COMPANHIA: DisCina
BILHETERIA (FRANÇA): US$ 3,8 milhões


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados