20180404Meira Ricci & Rússia

29/03/2018 — A Federação Internacional de Futebol anunciou oficialmente os nome dos árbitros que mediarão os jogos da Copa do Mundo da Rússia, a partir do dia 14 de junho. Além de 36 árbitros, a Fifa contará com 63 assistentes, pertencentes a 46 países. O representante do Brasil na arbitragem será o mineiro Sandro Meira Ricci. Ele começou a carreira na Federação Mineira de Futebol, mas, atualmente, trabalha na Federação Catarinense. Meira Ricci ganhou, em 2010, o prêmio de melhor árbitro do Campeonato Brasileiro. Em 2013, apitou a final da Copa do Mundo de Clubes e, em 2014, a final da Taça Libertadores da América. No Campeonato Brasileiro de 2017, mediou onze partidas. Deu dois cartões vermelhos (Diego Souza, do Sport Recife, e Fernando Silva, da Ponte Preta) e 50 cartões amarelos.

sandro-ricci1SANDRO MEIRA RICCI — Nasceu no dia 19 de novembro de 1974, na cidade de Poços de Caldas, sudoeste de Minas Gerais. Começou a arbitrar profissionalmente jogos de futebol como filiado da Federação Pernambucana. Depois, transferiu-se para a Federação Catarinense. Em 2010, ganhou o prêmio de melhor árbitro do ano, conferido pela Confederação Brasileira de Futebol, sendo indicado, no ano seguinte, para fazer parte do quadro de aspirantes à Federação Internacional. Em 2013, foi escalado para arbitrar a final do Mundial de Clubes, entre o Bayern de Munique, da Alemanha, e o Raja Casablanca, do Marrocos. Os alemães venceram por dois a zero. Foi o árbitro brasileiro escalado pela Fifa para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016).

sandro-meira-ricci fla-fluFlamengo & Fluminense
01/11/2016 — O Superior Tribunal de Justiça Desportiva suspendeu o árbitro Sandro Meira Ricci por causa da arbitragem confusa no clássico entre Fluminense e Flamengo disputado no dia 13/10/2016, em Volta Redonda (RJ). A pena de suspensão é de 60 dias, cumulada com multa de R$ 1 mil. Segundo o STJD, o árbitro não coibiu a animosidade e a violência entre os atletas. Além disso, num lance polêmico, invalidou um gol do Fluminense para, em seguida, validar e, mais à frente, influenciado por opiniões externas, invalidar de novo. Para culminar, não relatou nada disso na súmula do jogo, embora a partida tenha ficado paralisada por treze minutos. No Brasileirão 2016, Meira Ricci apitou dez partidas. Mostrou 46 cartões amarelos e um vermelho.


 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados