boisCarne Fraca

18/02/2020 — O abate de bois e vacas no Brasil caiu 1,8% no último trimestre de 2019 (outubro, novembro e dezembro) na comparação com o mesmo período de 2018. Segundo os dados da Estatística da Produção Agropecuária, divulgados pelo IBGE, em relação ao trimestre anterior (julho, setembro e outubro), a queda no número de abates foi de 5,4%. Nesse período, houve uma escalada nos preços das carnes, com impacto muito grande no índice oficial da inflação, o IPCA. Em termos absolutos, entre outubro e dezembro do ano passado, foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de gado, com uma produção total de 2,08 milhões de toneladas de carcaças. Essas carcaças são enviadas aos curtumes para a produção de couro, destinado à industrialização de calçados e outros artigos.

Desemprego
01/02/2020 — A taxa de desemprego no trimestre de outubro-dezembro de 2019 ficou em 11,0%,  caindo -0,8% em relação ao trimestre de julho-setembro (11,8%). Na comparação com o mesmo trimestre de 2018 (11,6%), houve queda de 0,6%. Já a taxa média anual recuou de 12,3% em 2018 para 11,9% em 2019. Em termos absolutos, os desempregados no Brasil em dezembro somaram 11,6 milhões, queda de 7,1%, em relação ao trimestre anterior. Esse percentual representa 883 mil pessoas, segundo a Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílio, publicada pelo IBGE. A PNAD Contínua também mostrou que 97,6 milhões de pessoas estão empregadas, crescimento de 2,0% em relação ao último trimestre de 2018. O rendimento médio mensal do trabalhador brasileiro fechou 2019 em R$ 2.340,00.

Educação
07/11/2019 — Em 2018, 11,8% dos adolescentes com quinze a dezessete anos de idade abandonaram a escola sem concluir o ensino básico. Esses jovens estavam entre os 20% da população com os menores rendimentos, percentual oito vezes maior do que os 20% de jovens da mesma faixa etária, mas com maiores rendimentos.Os dados são da Síntese de Indicadores Sociais, publicada pelo IBGE. A pesquisa indica que 40% da população brasileira com vinte e cinco anos ou mais de idade não tinham instrução ou sequer concluíram o ensino fundamental. Considerando-se o analfabetismo entre as pessoas com 15 anos ou mais de idade, o Brasil tem a quinta maior taxa (8%) entre dezesseis países da América Latina. Além disso, 49% dos brasileiros com vinte e cinco a sessenta e quatro anos não haviam concluído o ensino médio, o dobro da média dos países analisados (21,8%).


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados