Bovinos

21/03/2020 — Em 2019, foram abatidas 32,44 milhões de cabeças de bovinos, um aumento de 1,2% em relação ao ano anterior. Essa foi a terceira alta consecutiva na série histórica anual, após as quedas registradas em 2014, 2015 e 2016. O crescimento impulsionou-se por aumentos em 15 dos 27 estados. Os números mais expressivos aconteceram no Mato Grosso (+430,55 mil cabeças), Mato Grosso do Sul (+291,51 mil), São Paulo (+224,23 mil) e Santa Catarina (+60,15 mil). As quedas mais intensas ocorreram no Pará (-283,22 mil), Goiás (-199,50 mil) e Rio Grande do Sul (-167,86 mil). O Mato Grosso continuou liderando o ranking, com 17,4% da participação nacional. Especificamente no quarto de 2019, foram abatidas 8,07 milhões de cabeças de bovinos, quantidade 1,4% menor que a do quarto trimestre de 2018. Os dados são do IBGE.

pib2Riquezas
05/03/2020 — Em 2019, o Produto Interno Bruto do Brasil cresceu 1,1% frente a 2018, após altas de 1,3% em 2018 e 2017, e de retrações de -3,5% em 2015 e -3,3% em 2016. Houve altas na agropecuária (1,3%), na indústria (0,5%) e nos serviços (1,3%). O PIB geral, segundo pesquisa publicada pelo IBGE, totalizou R$ 7,3 trilhões em 2019. O PIB per capita variou 0,3% em termos reais, alcançando R$ 34.533,00 em 2019. A taxa de investimento no ano passado foi de 15,4% do PIB, acima do observado em 2018 (15,2%). Já a taxa de poupança registrou 12,2%, perdendo para 2018 quando ficou em ante 12,4%. No setor externo, as exportações de bens e serviços caíram 2,5% em 2019. As importações avançaram 1,1%.

Desemprego
01/02/2020 — A taxa de desemprego no trimestre de outubro-dezembro de 2019 ficou em 11,0%,  caindo -0,8% em relação ao trimestre de julho-setembro (11,8%). Na comparação com o mesmo trimestre de 2018 (11,6%), houve queda de 0,6%. Já a taxa média anual recuou de 12,3% em 2018 para 11,9% em 2019. Em termos absolutos, os desempregados no Brasil em dezembro somaram 11,6 milhões, queda de 7,1%, em relação ao trimestre anterior. Esse percentual representa 883 mil pessoas, segundo a Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílio, publicada pelo IBGE. A PNAD Contínua também mostrou que 97,6 milhões de pessoas estão empregadas, crescimento de 2,0% em relação ao último trimestre de 2018. O rendimento médio mensal do trabalhador brasileiro fechou 2019 em R$ 2.340,00.


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados