Desempregados    Trimestre 2018
marco18 desemprego

28/04/2018 — O número de desempregados no trimestre móvel de janeiro a março de 2018 cresceu 1,3% em relação ao trimestre de outubro a dezembro de 2017, ficando em 13,1%. Na comparação com o mesmo trimestre móvel do ano anterior, janeiro a março de 2017, houve queda de 0,6%. Em termos absolutos, a população desocupada, no trimestre, passou de 12,3 milhões para 13,7 milhões, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, feita pelo IBGE. No confronto com o primeiro trimestre de 2017,  o número caiu, tendo em vista que naquele período a pesquisa mostrou um contingente de 14,2 milhões de desempregados. O número de trabalhadores sem carteira assinada marcou 10,7 milhões de pessoas. Já os empregos formais ficaram em 32,9 milhões. A Pnad Contínua demonstra, ainda, que o rendimento médio real ficou estável entre janeiro e março de 2018, na base de R$ 2.169,00.

Dezembro-Fevereiro
30/03/2018 — A taxa de desocupação voltou a crescer, no trimestre de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018, atingindo 12,6%, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgada pelo IBGE. No trimestre encerrado em janeiro, a taxa era de 12,2%. Em números absolutos, o resultado representa mais 550 mil pessoas em busca de emprego, entre um trimestre e outro, totalizando cerca de 13,1 milhões de desocupados. A pesquisa mostrou que a população ocupada nesse período caiu em cerca de 858 mil postos de trabalho, com redução de 407 mil empregos no setor privado sem carteira e de 358 mil no setor público. Empregados com carteira ficou estável, com 33,1 milhões de trabalhadores. Essa pesquisa do IBGE não se confunde com o Caged. Os dados do Ministério do Trabalho tratam dos empregos formais informados através da RaisRelação Anual de Informações Sociais.

pnad continua1Novembro-Janeiro
28/02/2018 — O Brasil iniciou 2018 com aumento da taxa de desemprego acima do esperado, reflexo das demissões sazonais após as vagas temporárias de final de ano. A taxa de desemprego subiu a 12,2% no trimestre até janeiro, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O resultado voltou ao mesmo patamar visto no trimestre até outubro do ano passado, depois de ter ficado em 11,8% no final do ano passado. Entre novembro e janeiro, o país tinha 12,7 milhões de pessoas desempregadas, contra contingente o 12,3 milhões no quarto trimestre de 2017 e de 12,921 milhões no mesmo período do ano anterior.

O número de pessoas ocupadas foi estimado pelo IBGE em 91,7 milhões no trimestre de novembro de 2017 a janeiro de 2018. Esse contingente ficou estável em relação ao trimestre anterior (agosto a outubro de 2017). Em relação ao mesmo trimestre de 2017 (novembro de 2016 a janeiro de 2017), o indicador registrou crescimento de 2,1% (mais 1,8 milhão de pessoas). O nível da ocupação, indicador que mede o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar, foi estimado em 54,2% no trimestre de novembro de 2017 a janeiro de 2018, apresentando estabilidade frente ao trimestre de agosto a outubro de 2017. Em relação a igual trimestre do ano anterior, quando o nível da ocupação no Brasil foi de 53,7%, houve crescimento de 0,5%. O contingente na força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas), no trimestre de novembro de 2017 a janeiro de 2018, foi estimado em 104,4 milhões de pessoas.

O contingente de empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada (exclusive trabalhadores domésticos), estimado em 33,3 milhões de pessoas, ficou estável frente ao trimestre anterior (agosto a outubro de 2017). No confronto com o trimestre de novembro de 2016 a janeiro de 2017, houve variação de -1,7% (-562 mil pessoas). De novembro de 2017 a janeiro de 2018, o número de empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada (11 milhões de pessoas) ficou estável em relação ao trimestre anterior. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, registrou elevação de (5,6%), representando um adicional de 581 mil pessoas. O contingente de trabalhadores por conta própria (23,2 milhões) ficou estável na comparação com o trimestre anterior (agosto a outubro de 2017). Em relação ao mesmo período do ano anterior, o indicador, este número cresceu 4,4% (mais 986 mil pessoas).


 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados