Deus — Adão — Eva — Serpente
Odair Tristão — 08/10/2017

No sétimo dia, após criar o Céu e a Terra e povoar a terra com seres viventes, Deus defrontou-se com um problema: não poderia criar nenhuma planta, porque ainda não fizera chover sobre a terra e também não havia nenhum homem para lavrar o solo. Assim, do pó da terra fez o homem, soprando em suas narinas o fôlego da vida. Em seguida, do solo, fez brotar toda sorte de árvore. É assim que a Bíblia dá conhecimento do nascimento do Adão. Está justificado o provérbio “do pó nasceste, ao pó voltarás”, indicado para as cerimônias fúnebres. Adão habitou o Jardim do Éden, de onde saía um rio que se desdobrava em quatro braços: Rio Pisom, o Rio Giom, o Rio Tigre e o Rio Eufrates. O primeiro homem teria já nascido adulto, pois Deus lhe ordenara o cultivo do Éden e o precaveu sobre a necessidade de não comer os frutos da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Cheio de idéias, porque ainda não estava contente com sua obra, Deus atinou que o homem não deveria viver só. Assim, fez Adão cair num sono pesado. De uma das costelas do homem criou a mulher. A Bíblia dá conta de que os problemas do homem começaram aí. Eva, não resistindo às investidas da serpente, acabou comendo da árvore proibida, levando Adão também a cometer o erro. Curiosamente, após comerem o fruto proibido, os dois sentiram que estavam nus e logo taparam as suas partes íntimas com folhas de figueira. Deus, que não previra esse desenlace, achou estranho que os dois se escondessem por entre as árvores quando passeava pelo jardim no fim do dia. Chamou-os. Ao ver Adão com a cinta de figueira matou a charada: “comeste da árvore de que te ordenei que não comestes?” Foi neste momento que o homem inventou a desculpa: “A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi”.

A mulher seguiu o caminho do marido, quando Deus a abordou: “A serpente me enganou, e eu comi...”. Na verdade, os dois gostaram muito. A serpente é que saiu no prejuízo, pois Deus a amaldiçou, condenando-a a rastejar sobre o ventre por todo o sempre. Como castigo pela desobediência, Deus condenou o Adão a trabalhar de verdade. Acabou! Adão não teria mais a boa vida no Éden. Se quisesse se alimentar, teria de tirar da terra o seu sustento. E ainda arrematou Deus: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. Para a Eva, também não sobrou nada de bom. Disse Deus: “multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez e, no meio das dores, darás filhos...” Talvez venha daí o sofrimento que a mulher passa durante nove meses de gestação para, finalmente, sofrer mais ainda na hora do parto. Elas dizem que “dar à luz é sofrer no paraíso”. Tá bom!

Como todos sabem, o Adão e a Eva tiveram três filhos: Caim, Abel e Set. Mas aí já é outra história...

 

 


© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados