banner-topo

Alcíone, símbolo da fidelidade

Alcíone

ALCÍONE — Filha do Eólo, deus dos ventos. Seu casamento com o Ceíce, filho do Lúcifer, era tão feliz, que suscitou a inveja do Zeus, o deus supremo, e da mulher dele, a deusa Hera. Eles transformaram o casal em alciões, aves imaginárias que faziam o ninho sobre as águas do mar. Segundo uma outra versão, o Ceíce morreu num naufrágio provocado pelo Zeus. A moça, ao saber da morte do marido, jogou-se ao mar. Os deuses, arrependidos, reuniram o os dois metamorfozeando-os em alciões. Por isso, a Alcíone e o Ceíce, constituem o símbolo da fidelidade conjugal.

A Beleza Dos Mitos
dicionario-de-mitologia1

ABADIR — Pedra que o deus Crono (Saturno para os romanos) devorou julgando se tratar do seu filho Zeus (Júpiter para os romanos). Clique AQUI.

ABANTE — Rei de Argos, cidade da Grécia, situada na Península do Peloponeso. Clique AQUI.
ÁBARIS — Poeta cita que cantou a viagem do deus Apolo ao país dos Hiperbóreos. Clique AQUI.
ABDERA — Fundou uma cidade homônima na Região da Trácia, no Norte da Grécia. Clique AQUI.
ABEONA & ADEONA — Divindades romanas que pesidem as viagens. Clique AQUI.
ÁBIA — Filha do Héracles (Hércules para os romanos) e nutriz do Ilo, possível fundador de Troia. Clique AQUI.
ABÍLIO — Filho do Rômulo, fundador de Roma, e Hersília, sabina raptada pelo pai.
ABORÍGENES — Antigos habitantes da Itália Central. Eram filhos das árvores. Viviam errantes, sem lei, nem organização. Seu nome significa “o povo original”. Unidos aos troianos, chefiados pelo Eneias, formarm o povo latino.

ABSIRTO — Filho do rei da Cólquida, Eetes. Quando Medeia, sua irmã, empreendeu fuga com Jasão, ele a acompanhou. Vendo-se perseguida pelo pai, a moça o matou e jogou seus pedaços pelo caminho, contando, assim, retardar o perseguidor.

ABUNDÂNCIA — Divindade alegórica representanda por uma bela mulher coroada de flores, segurando, na mão direita, a cornucópia e, na esquerda, algumas espigas.


ACACÁLIS — Ninfa da cidade de Creta e filha do rei Minos. Do seu amor com o deus Hermes (Mercúrio para os romanos), nasceu o Cidão, que viria, depois, fundar a cidade de Cidônia. Já com o deus Apolo teve três filhos: Naxo, Mileto e Anfitémis.

ACACO — Filho de Licaão, rei da Arcádia. Fundo nessa mesma região a cidade de Acacésio. Segundo uma outra tradição, foi o pai adotivo do deus Hermes (Mercúrio para os romanos).

ACADEMOS — Herói da Ática, região da Grécia que engloba a cidade de Atenas. Revelou aos Dioscuros (Castor e Pólux) o local onde o Teseu aprisionara Helena, aquela mesma, mais tarde, responsável pela Guerra de Troia. Foi enterrado num bosque, onde o filósofo Platão, mais tarde, instalou a sua academia.

ACADINA — Fonte da Sicília consagrada aos deuses Pálicos, filhos do deus Hefestos (Vulcano para os romanos). Suas águas tinham o poder de revelar a sinceridade dos juramentos que nelas eram jogados, incritos em tabuinhas. Se esss tabuinhas flutuassem, os juramentos eram sinceros. Se não, eram falsos.

ACAIA — Região do Peloponeso. Passou a ser nome da Grécia quando esta ficou sob o domínio dos romanos.
ACALANTIS — Filha do Piero. Juntamente com suas irmãs, desafiou as Musas afirmando cantar melhor que elas. As Musas, indignadas, transformaram as três irmãs em pássaros.

ÁCALE — Sobrinho do Dédalo. Inventou o compasso e a serra. Com isso, despertou a inveja do tio, que, temendo ser superado por ele, arremessou-o do alto de uma torre. Atená (Minerva para os romanos), a deusa da sabedoria, o transformou em perdiz, ave galiforme pertencente à família Phasianidae.

ACAMANTE — Filho do Teseu e da Fedra. Foi, numa embaixada com Diomedes, a Troia para reclamar a devolução da rainha Helena, de Esparta, raptada pelo príncipe Páris Alexandre. Lá, seduziu Laódice, filha do rei Príamo. Dessa união, nasceu o Munico. Fez parte, mais tarde, do corpo de guerreiros que se ocultaram no famoso Cavalo de Troia. Numa outra tradição, é filho do Antenor e da Teano. Nessa versão também foi um herói da Guerra de Troia.

ACANTO — Filho do Antonoo e da Hipodâmia. Foi devorado pelos cavalos do seu pai. Diante dessa morte, os membros da sua família demonstraram tão grande dor que Zeus (Júpiter para os romanos) e Apolo, compadecidos, os transformaram em pássaros. Numa outra tradição, apresenta-se como ninfa amada pelo deus Apolo. Depois, foi metamorfoseada na planta que leva o seu nome. É uma planta da família das Acantáceas. Tem flores branco-rosadas em forma de espiga.

ACARNANES — Filho do Alcmeão e da Calírroe. Por obra do Zeus (Júpiter para os romanos) — e a pedido da mãe —, ele e o irmão Anfóteros passaram diretamente da infância para a juventude para poderem vingar a morte o pai. Em seguida, dirigiram-se a Delfos para entregar ao deus Apolo o colar da Harmonia, que muitos transtornos havia causado à família. Deu nome à Arcacânia, cidade da Grécia Setentrional.

ACASTO — Filho do Pélias. Foi um dos argonautas. Astidâmia, sua esposa, irritada com a indiferença do Peleu, do qual estava enamorada, contou ao marido que aquele havia tentado violentá-la. Assim, levou o Peleu para o alto do Monte Pélio, abandonando-o às feras. Salvo pelo Quirão, Peleu, em seguida, matou o marido e a esposa.

ACELO — Filho do Héracles (Hércules para os romanos) e da Mális. Deu o seu nome a uma cidade da Lícia, regiao da Ásia Menor, na fronteira da Grécia com a atual Turquia.

ACESTES — Filho do deus fluvial Crimiso e da troiana Egesta. Hospedou Eneias e o ajudou a construir, no cume do Monte Érix, na Sicília, um monumento fúnebre dedicado ao Anquises, pai do herói. Fundou a cidade de Segesta, também na Sicília.

ACETES — Marinheiro de um navio corsário. Quando os seus companheiros raptaram Dioniso (Baco para os romanos), foi o único a reconhecer o deus do vinho e da alegria. Em vão, insistiu para que os companheiros libertassem o deus. Dando-se a conhecer, Dioniso transformou os piratas em delfins. Em reconhecimento, o preservou. Noutra tradição menos importante, foi o filho do Sol e da Perse.

ACIDÁLIA — Fonte da Beócia, na Grécia Central, onde a deusa Afrodite (Vênus, para os romanos) e as Graças costumavam se banhar.

ACINETO — Filho do Héracles (Hércules para os romanos), assassinado pelo pai num acesso de furor.
ÁCIS: Filho do Fauno, deus dos pastores, e da Simétis. Amado pela ninfa Galateia, despertou a ira do ciclope Polifemo. Este, que também era enamorado da jovem, esmagou-o com uma rocha. A pedito da amada, o deus Poseidon (Netuno para os romanos) o transformou num rio.

ÁCMON — Pai da Terra e do Céu entre os fenícios, povo antigo que habitara as regiões litorâneas do atual Líbano e da atual Síria. Era também cultuado na cidade de Creta, situada ao Sul do Mar Egeu, a ilha maior e mais populosa ilha da Grécia.

ACO — Filho do deus Hefesto (Vulcano para os romanos) e da Aglaia, uma das três GRAÇAS.
ACÔNCIO — Jovem da Ilha de Ceos. No tempo da deusa Artémis (Diana para os romanos), em Delos, conheceu Cidipe, uma ateniense de alta estirpe, e dela se enamorou. Temendo não poder desposá-la em virtude da sua posição social inferior, resolveu usar uma artimanha. Gravou numa fruta as seguintes palavras: “Acôncio, juro por Artémis que serei sua” e jogou-a aos pés da amada. Esta apanhou a fruta e leu o juramento ante ao altar da deusa, ficando, assim, ligada a ele. Por três vezes, foi prometida em casamento a outro homem, mas sempre que chegava o dia das núpcias era acometida de febre alta e ficara à beira da morte. Seu pai consultou o oráculo de Delfos e, sabendo do involuntário juramento da jovem, consentiu em sua união com o Acôncio.

ACÔNITO — Planta venenosa nascida da baba do cão Cérbero, quando o Herácles (Hércules para os romanos) o arrancou dos Infernos. Pertence à família das Ranunculaceae, muito utilizada em fármacos homeopáticos. É também conhecida como mata-lobos, pois em lendas de lobisomens seu veneno enfraquece esses bichos. O nome científico é Aconitum napellus.

ACRÍSIO — Rei de Argos, filho do Abante. Despojado do trono pelo irmão Preto, partiu para a Frígia, no Centro-Oeste da Ásia Menor (atual Turquia), onde se casou com a filha do rei Lacedêmon e teve uma filha, à qual deu o nome de Dânae. Mais tarde, foi morto por um filho desta, Perseu, conforme predissera um oráculo.

ACRÓPOLE — Parte alta de uma cidade antiga. Primitivamente, constiuía um lugar de refúgio para as populações ameaçadas por invasões inimigas ou por fragelos naturais. Com o tempo, essa ideia de proteçao associada à altitude conferiu à acrópole um caráter de lugar santificado pelos deuses. Na acrópole, os reis e os poderosos estabeleciam morada, buscando nos altos cumes uma espécie de comunhão direta com os deuses. Dentre as mais célebres acrópoles, figuram as de Corinto, Atenas, Tirinto e Micenas, na Grécia, além das de Troia e Pérgamo, na Ásia e na Itália, respectivamente. Outra famosíssima é o Capitólio, em Roma.

ACTEÃO — Filho do Aristeu e da Autônoe. Clique AQUI.
ACTEIA — Nome da deusa Ceres nas festas consagradas a Elêusis. Refere-se à dor sentida pela deusa com o rapto da sua filha Perséfone (Prosérpina para os romanos).

ACTOR — Herói da Tessália, região no Norte da Grécia, filho do Déion e da Diomeda. É tido como pai do Menésio e avô do Pátroco, herói da Guerra de Troia, morto pelo Heitor e vingado pelo amigo Aquiles. Noutra tradição, aparece como filho do deus Poseidon (Netuno para os romanos) com a Agamede. Numa terceira vertente, seria filho do Acasto, um dos argonautas, e teria sido morto pelo Peleu.


ADAMASTOR — Um dos Gigantes que pretenderam destronar o Zeus (Júpiter para os romanos). Foi vencido pelo deus supremo. Morto, foi sepultado sob um monte.

ADÉFAGO — Epíteto do Héracles (Hércules para os romanos). Significa “voraz” ou “insaciável”. Esse epíteto se deve à vitória do herói numa aposta feita com Lépreas, neto do deus Poseidon (Netuno para os romanos), para ver quem seria capaz de comer um boi inteiro.

ADMETO — Filho do rei Feres, participou da caça ao javali de Calidão e da expedição dos argonautas. Clique AQUI.
ADÔNIS — Considerado o deus mais belo. Clique AQUI.
ADASTREIA — Deusa da vingança, filha do deus supremo Zeus (Júpiter para os romanos). Seu nome significa “aquela de quem não se pode escapar”.

ADRASTO — Rei de Argos, cidade da Península do Peloponeso. Clique AQUI.
AÉDON — Filha do Pandareu. Casou-se com o Politecne, um artista de Cólofon. Eles viveram felizes até o dia em que se gabaram de se amarem mais que o Zeus e a Hera. A deusa ficou irritada e encarregou a Discódia para desuní-los. Esta despertou no esposo o amor pela cunhada Quelidônia, seguindo-se o desejo de eliminar a esposa. Mas, quando o artista estava quase ao ponto de cometer o crime, o Zeus interveio e transformou toda a família em pássaros.

AÉDONA — Mulher do Zeto, filho do Zeus. Invejosa da grande prole da sua cunhada, Níobe, decidiu matar o sobrinho mais velho. Mas acabou matando o seu único filho, Ítilo. Ao perceber o engano, chorou tanto que os deuses a transformaram num pássaro. Noutra tradição, defendida pelo poeta Homero, ela se opunha ao culto do deus Dioniso. Este a teria enlouquecido, redundando no assassínio do próprio filho. Em seguida, foi arrebatada pelas Hárpias, que a entregaram às Fúrias. Os deuses, então, compadeceram-se e a transformaram num rouxinol.

AELO — Uma das três Hárpias. Fugindo da perseguição do Zetes e do Calais, filhos do deus dos ventos Bóreas, afogou-se no Rio Níger. A partir de então,  tomou o nome de Hárpis.

AEROPA — Filha do Catreu, rei da cidade de Creta. Casou-se com o Plístenes, príncipe da cidade de Micenas, com quem teve dois filhos: Agamenon e Menelau. O primeiro foi rei de Micenas e o segundo, de Esparta. Após a morte do marido, casou-se com o cunhado Atreu. Morreu durante a luta entre este e o seu outro cunhado, Tiestes.


AFRODITE — Deusa da beleza e do amor. Entre os romanos, seu nome era Vênus. Clique AQUI.

AGAMEDE — Filha da Maca, sem tradição na mitologia grega. Deu nome à cidade de Agamede, na Ilha de Lesbos, situada no Nordeste do Mar Egeu. Noutra vertente, era filha do Augeus, rei d cidade de Élis, situada na Grécia Ocidental. Casou-se com o Múlio, guerreiro que foi morto pelo Nestor na Guerra de Troia.

AGAMEDES — Aquiteto da Região da Beócia. Com su irmão Trifônio, construiu um templo dedicado ao deus  Apolo na cidade de Delfos, e um abrigo para o tesouro do rei Hirieu. Furtaram parte desse tesouro retirando uma pedra que deixaram solta para esse propósito. Desconfiado, o rei lhe preparou uma armadilha, onde ficou preso. Antes de ser encontrado, foi decaptado pelo próprio irmão, que, assim, não foi enrolado no furto.

AGAMENON — Rei da cidade de Micenas e comandante-em-chefe dos gregos na Guerra de Troia. Clique AQUI.

AGANIPE — Fonte consagrada às Musas, junto ao Monte Helicão, na Beócia. Surgiu de uma patada do cavalo alado Pégaso. Noutra tradição, era filha do Rio Permesso, na mesma região, cujas águas, dedicadas ao deus Apolo e às Musas, inspiravam os poetas.

AGAPENOR — Filho do Anceu e da Io. Clique AQUI.
AGAVE
— Filha do Cadmo e da Harmonia. Clique AQUI.
AGELAU — Pastor real. Recebeu do Príamo, rei de Troia, a incumbência de matar o Páris Alexandre. Mas, aliciado pela mãe do príncipe, não cumpriu a empreitada.

AGENOR — Rei da Fenícia, filho do deus Poseidon (Netuno para os romanos) e da Líbia. Casou-se com a Telefassa, com quem teve os filhos Europa, Cadmo, Fênix e Cílix. Quando a Europa foi raptada pelo Zeus (Júpiter para os romanos), ordenou aos filhos que fossem procurar a irmã e que não voltassem sem ela. Como não a encontraram, os três não retornaram.

AGLAIA — Uma das três Graças, divindades da beleza e do encanto. Filha da deusa Afrodite e do Zeus, é representada com um botão de rosa na mão. Segundo a principal tradição, teria se unido ao deus do fogo Hefesto. Numa tradição menos importante, teve com o Héracles (Hércules para os romanos) os filhos Antíades e Onésipo.

AGLAOFONE — Sereia, divindade habitante do mar com corpo de mulher e rabo de peixe, cujo nome exprime a doçura da sua voz e o encanto das suas palavras.

AGLAURO — Filha do Cécrope. Como era um obstáculo para o amor que o deus mensageiro Hermes nutria pela sua irmã Herse, foi transformada em pedra pela divindade olímpica. Conforme outra versão, juntamente com a irmã, teria suscitado a cólera da Palas Atenas por terem aberto uma caixa que a deusa da sabedoria teria confiado à terceira irmã, Pândrosa.

ÁGRON — Filho do Eumelo, um dos combatentes da Guerra de Troia. Com suas irmãs Mérope e Bissa, recusou-se a fazer sacrifícios ao deus mensageiro Hermes, à deusa da vegetação Artêmis e à deusa da sabedoria Palas Atenas. Esses deuses, irritados, transformaram-nos em pásaros.

AIX — Cabra que, segundo uma versão, amamentou Zeus no Monte Ida. Descendida do Sol e era tão horrenda que a Terra, a pedido dos Titãs, a escondeu numa caverna em Creta. Com a pele dela, Zeus fez uma armadura, a égide, que usou na luta contra os Titãs. Brincando com a cabra, o deus dos deuses arrancou um dos chifres dela e o entregou à ninfa Almateia.

AJAX — Filho de Oileu, rei dos locros. Clique AQUI para ver.


ALBA LONGA — Cidade da Itália, capital do antigo Lácio. Foi fundada por Ascânio, filho do Eneias, herói troiano. Entre os muitos sucessores desse rei, figuram o Alba; o Tiberino, que se afogou no Rio Álbula, depois chamado de Tibre; e o Sílvio Procas, avô do Rômulo e do Remo. Foi destruída posteriormente pelo romano Túlio Hostílio.

ALBIÓN — Gigante, filho do deus Poseidon. Com o seu irmão Bérgion, lutou contra o Héracles (Hércules). Para salvar o herói, o Zeus abateu os dois gigantes com uma chuva de granizo.

ALCÁTOO — Filho do Pélope e da Hipodâmia. Julgando-se culpado pela morte do irmão Crisipo, retirou-se para a cidade de Mégara, onde se notabilizou pelo abate de um leão que devorara o filho do rei local. Este, agradecido, lhe deu a filha em casamento. A seguir, foi para a cidade de Onquestos, na Beócia, onde se apoderou do trono. Durante o seu reinado, com a ajuda do deus Apolo, reconstruiu as muralhas de Mégara e edificou uma cidadela.

ALCESTE — Filha do rei Pélias, da cidade de Iolco, casou-se com o Admeto. Tinha tão grande amor pelo marido que se ofereceu para morrer quando as Fúrias exigiram, para conceder a imortalidade ao príncipe, que alguém muito próximo a ele perecesse em seu lugar. O ato, porém, não foi consumado, pois o Héracles (Hércules) a arrancou da morte e a devolveu ao amado.

ALCEU — Numa primeira tradição, era filho do Perseu, rei da cidade de Argos, pai do Anfitrião e avô do Héracles (Hércules). Noutra vertente, era filho do Héracles com a Mális. Foi o primeiro dos Heráclidas, descendentes do Héracles.

ALCIÃO — Gigante, filho do Urano (Céu) com a Geia (Terra). Clique AQUI para ver.
ALCÍMENE
— Filho do Jasão, líder dos Argonautas, com a Medeia, feiticeira, princesa da cidade de Cólquida. Junto com os irmãos Tessalo e Tisandro, foi morto pela mãe, num acesso de loucura por ter sido repudiada pelo Jasão. Foi sepultado num templo dedicado à deusa Hera (Juno para os romanos) na cidade de Corinto.

ALCÍNOO — Neto do deus dos mares Poseidon, foi o mais célebre rei dos feácios. Clique AQUI para ver.
ALCÍONE — Filha do Eólo, deus dos ventos. Casou-se como Ceíce, filho do Lúcifer. Clique AQUI para ver.



© 2013 Tio Oda - Todos os direitos reservados