Imprimir
Categoria: Compositores Clássicos
Acessos: 203

retrato1Mozart

WOLFGANG AMADEUS MOZART nasceu no dia 27 de janeiro de 1756 na cidade de Salzburgo, Áustria. Morreu no dia cinco de dezembro de 1791 na cidade de Viena. Foi um dos mais espantosos exemplos de precocidade na história da música. Educado pelo pai, já aos três anos de idade recebia lições de cravo. Aos quatro anos fez a primeira composição e aos sete tocava órgão, cravo e violino. Em 1761, com apenas cinco anos de idade, apresentou-se na universidade da cidade natal. Em 1762, o pai o levou para a cidade de Munique na Alemanha, onde o menino se exibiu como concertista.

Em 1763, foi para Paris, França, e, depois, para Londres, Inglaterra, apresentando-se com considerável êxito. De volta à Áustria em 1768 foi recebido na corte de Viena. Escreveu e dirigiu em seguida uma ópera para o imperador José II. De 1769 a 1773, viajou com o pai pela Itália. De volta novamente à Áustria, tornou-se em 1790 compositor da corte imperial. Mesmo com intenso trabalho e muito sucesso viu-se perseguido pelas dificuldades financeiras. Em 1791, compôs uma das suas óperas mais famosas, a “A Flauta Mágica”. Em dezembro deste ano, muito doente, trabalhava na missa “Requiem” quando sofreu um ataque de paralisia. Veio a morrer sem terminar o trabalho. A morte foi atribuída a uma série de causas.

Uma dessas causas teria sido a ingestão de veneno possivelmente administrado por um compositor rival, o italiano Antonio Salieri. Esse fato tornou-se o ponto de partida para o filme “Amadeus”, dirigido pelo Milos Forman e lançado em 1984. A produção ganhou o Oscar de melhor filme, melhor diretor e melhor ator (F. Murray Abraham). Para os críticos, o Mozart representa o ponto culminante da música no Século 18. Figura exponencial no desenvolvimento final da ópera napolitana, tornou-se um mestre na concepção da sonata da época. Criou algumas obras-primas da música instrumental e estabeleceu normas musicais que transformaram aquele período na era clássica por excelência. Entre as óperas de maior sucesso encontram-se a “A Clemência do Tito”,  “As Bodas do Fígaro”, a “Don Giovanni”, a “Mitrídates” e a “O Rapto do Serralho”.

don giovanni1Don Giovanni
Quando se fala em sedução, não se pode deixar de fora a campeã do gênero musical representado pela ópera “Don Giovanni” do austríaco Mozart. Com letra do italiano Lorenzo Da Ponte, a primeira apresentação da “Don Giovanni” aconteceu no Teatro de Praga no dia 29 de outubro de 1787. Don Giovanni é um inquietante nobre que seduz as donzelas prometendo casamento, mas as abandona quando consegue o objetivo. A peripécia mais ousada dele apareceu no dueto “Ao Se Dar as Mãos”, no qual o nobre seduz com palavras e música a estonteante Zerlina no dia do casamento da moça. Depois de dar o mau passo, a noiva infiel se arrepende e resolve apaziguar a dor do marido.