Eleições

04/07/2020 — O Congresso Nacional (reunião conjunta da Câmara dos Deputados e do Senado Federal) promulgou a emenda constitucional que altera as datas das eleições deste ano. Por causa dos problemas da Covid-19, o primeiro turno será realizado no dia 15 de novembro e o segundo, no dia 29 do mesmo mês. A mudança promovida teve o aval do Superior Tribunal Eleitoral. Além da data, outros prazos também foram mudados. As convenções partidárias para a escolha dos candidatos serão feitas entre 31 de agosto e 16 de setembro. A propaganda eleitoral no rádio e na televisão terá início no dia 27 de setembro, após o final do prazo para registro de candidatura. De acordo com os dados do TSE, 140 milhões de brasileiros deverão escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Fundo Eleitoral
10/06/2020 — O Tribunal Superior Eleitoral divulgou a divisão do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões. O dinheiro vai abastecer as campanhas de prefeitos e vereadores nas eleições municipais deste ano. Maiores bancadas na Câmara dos Deputados, o PT, o PSL e o PSD ficaram com as maiores parcelas: R$ 200 milhões, R$ 193 milhões e R$ 157 milhões respectivamente. O MDB contará com R$ 155 milhões e o PSDB, com R$ 126 milhões. O Partido Novo, que tem direito a R$ 36,6 milhões, informou ao TSE que abre mão do dinheiro. O primeiro turno das eleições está marcado para o dia quatro de outubro. Essa data poderá ser alterada se os problemas decorrentes da pandemia do coronavírus persistirem até lá. Os partidos foram liberados para fazerem convenções virtuais para a escolha dos candidatos.

20200417Barroso
30/05/2020 — O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral. Caberá a ele o comando das eleições municipais desde ano, cujo primeiro turno está marcado para o dia quatro de outubro. Em entrevista aos grandes meios de comunicação, o ministro afirmou que não está totalmente descartado o adiamento das eleições. Tudo, segundo ele, vai depender do resultado do trabalho de controle do novo coronavírus. O TSE é composto de sete ministros titulares: três do STF, dois do Superior Tribunal de Justiça e dois advogados de notável saber jurídico, nomeados pelo presidente da República. Além das eleições, o ministro comanda processos de pedido de cassão do Bolsonaro.

Franca
06/04/2020 — O quadro partidário fechou. No dia três terminou a janela para que candidatos pudessem mudar de partido com vistas às eleições municipais de outubro, quando serão eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Em Franca, a expectativa era em relação à posição que adotaria o ex-prefeito Sídnei Franco da Rocha. De acordo com os registros, ele continua nas hostes do PSDB. Neste partido, o pré-candidato a prefeito é o vereador Adérmis Marini. Outros pré-candidatos confirmados são os da empresária Flávia Lancha pelo PSD, do ex-prefeito Alexandre Ferreira, pelo MDB, e do próprio prefeito Gilson de Souza, pré-candidato à reeleição pelo DEM. Esses são os nomes mais expressivos. A partir de agora, os partidos começarão a organizar as suas chapas de candidatos a vereador.

Eleições 2016

Segundo turno

2020021890.817 votos (56,3% dos válidos)
Gílson de Souza (eleito)
Partido: Democratas

2019070570.405 votos (43,7% dos válidos)
Sídnei Franco da Rocha
Partido: PSDB

248.046  total de eleitores
177.362  total de votantes
054.544  total de abstenções
009.994  votos nulos
006.146  votos brancos

Primeiro turno

69.902 votos (45,1%)
Sídnei Franco da Rocha (45,1%)
Partido: PSDB

34.976 votos (22,6%)
Gílson de Souza (22,6%)
Partido: Democratas

28.609 votos (17,5%)
Flávia Lancha
Partido: PMDB

18.755 votos (12,1%)
Marco Aurélio Ubiali
Partido: PSB

2.773 votos (1,79%)
Thiago Rodrigues
Partido: PSOL


 

 

 



© 2017 Tio Oda - Todos os direitos reservados