Imprimir
Categoria: Executivos Americanos
Acessos: 4609

harvey-firestone in1_1Harvey Firestone

HARVEY SAMUEL FIRESTONE nasceu no dia 20 de dezembro de 1868, na cidade de Columbiana, Ohio, Estados Unidos. Morreu no dia 7 de fevereiro de 1938, na cidade de Miami Beach. Ficou conhecido como o industrial que estabeleceu a companhia de pneus e borrachas Firestone, empresa que foi, durante cerca de 80 anos, a maior fabricante de pneumáticos dos Estados Unidos. Em Detroit, Michigan, foi o primeiro homem a conduzir um “buggy” com pneus de borracha, quando trabalhava como responsável da empresa do seu tio.

Foi quando este negócio de construção de “buggys” falhou que se mudou para Chicago, Illinois, em 1896. Em conjunto com alguns sócios, deu início a um estabelecimento de comercialização de pneus. Em 1900, mudou-se para Akron, na altura o centro produtivo de pneumáticos. Nessa cidade desenvolveu a sua patente — um mecanismo para aplicar pneus de borracha nos eixos de rodas normais. Com um sócio montou uma empresa. Dois anos mais tarde, deixou de vender mecanismos produzidos por outras empresas. Comprou então uma fábrica onde começou a produzir os seus próprios pneus.

Em 1904, já produzia pneus para automóveis e foi o primeiro no fornecimento deste tipo de produtos para a pioneira Ford. O negócio estabelecido entre as duas companhias fez com ele atingisse, em 1906, o topo da indústria pneumática americana. A Firestone manteve um carácter inovador, sendo pioneira na concepção de vários produtos. A companhia promoveu o uso dos caminhões pesados nas frotas comerciais. O negócio se estendeu até a Ásia. O empresário americano pretendia enfrentar o domínio britânico naquela área do globo e, para tal, comprou as plantações de borracha na Libéria. Esteve na presidência da companhia até 1932, quando foi substituído pelo seu filho. Em 1974 foi incluído no Hall da Fama Automotiva, homenagem que se presta aos grandes da indústria automobilística.

harvey-firestone in2No Brasil

Em 1938, quando Harvey Firestone morreu, aos 69 anos, a companhia já tinha várias fábricas espalhadas pelo mundo. A unidade brasileira iniciaria suas operações um ano depois, em Santo André. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Firestone, além de pneus, passou a produzir asas de avião, esteiras para tanques, caminhões antiaéreos e tanques de oxigênio. Com o aumento da demanda por veículos importados e seus componentes, após o fim da guerra, as vendas chegavam à marca de 1 bilhão de dólares em 1953. Onze anos depois, a empresa adquiriu a divisão de pneus da Seiberling Rubber Co. nos EUA.

Em seus mais ambiciosos investimentos até então, a companhia comprou 300 lojas de serviços automotivos da J.C. Penney, em 1983, com o objetivo de diversificar suas atividades como produtora de pneus. A união com a Bridgestone aconteceu em 1988, quando a empresa sediada no Japão adquiriu a Firestone por 2,6 bilhões de dólares. Em seguida, a Bridgestone anunciou um plano de investimentos da ordem de 1,5 bilhão de dólares nas operações da empresa. Um ano depois, surgia a Bridgestone Americas Holding, que incorpora as operações da Bridgestone do Brasil nas Américas.